Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

segunda-feira, 1 de março de 2010

Temporada deixa R$ 70 milhões??????


ONDE ESTÃO OS PEIXINHOS???

Na semana passada, li uma reportagem (anexo1) no Jornal Primeira Hora (edição de 19 a 25 de fevereiro de 2010 -http://www.jornalprimeirahora.jor.br/página 6.htm) que me deixou bastante entristecido com o passado e preocupado com o futuro. Não pela matéria em si, que de um lado foi importante para a economia do município, mas pelo que presenciei nesta temporada.
A matéria se referia sobre a comemoração do setor hoteleiro e comerciante em relação à forte injeção monetária no município nesta temporada que de acordo com o “Guarujá Convention & Visitors Bureau” a combinação de fatores como sol, praia e eventos deixaram R$ 70 milhões na economia local. Até ai tudo bem e muito importante, mas o que me deixa entristecido foram às diversas imagens ocorridas nas areias das praias em relação a falta de responsabilidade dos turistas e principalmente dos quiosques em relação aos cuidados com o lixo.
Fico pensando onde foi parar aquela cidade linda chamada de Pérola do Oceano. Vejo agora que ela está mais para Lixão do Atlântico.
No passado era muito comum entrar na água e ver os peixinhos passando entre as nossas pernas e o que vi nesta temporada foram: absorventes e camisinhas usadas, ossos de frango, fezes (humanas ou de animais tanto faz), espiga de milho entre outras coisas que não fazem parte do ecossistema marinho. E restou a grande pergunta: Onde estão Peixinhos?
A praia então, qualquer um podia constatar a quantidade de lixo que ficava espalhada por toda a areia. Era saquinho de lixo para cá, coco verde para lá, garrafas amontoadas e às vezes quebradas, pontas de cigarro. Chegava ao cúmulo de ter que passar o rastelinho de brinquedo de meu filho para termos um local mais agradável para ficar. Até barata eu vi andando pelas areias.
E qual a causa de tudo isso??? A completa falta de compromisso e responsabilidade, principalmente por parte dos quiosques, que de forma totalmente sem consciência deixavam todo lixo na areia (fotos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7), talvez achando que por passe de mágica eles sumiriam.
Não sei se existem leis municipais para a questão do lixo nas praias, mas com certeza existem leis estaduais e federais para este assunto onde posso citar a Política Estadual de Resíduos Sólidos, a Política Estadual e Federal de Meio Ambiente, a Agenda 21, bem como a própria Lei de Crimes Ambientais em vigor desde 1998.
Em todas elas são exaustivamente afirmadas a obrigação do gerador do resíduo em recolher e dar o destino adequado ao lixo gerado por sua atividade e a obrigação do poder público em fiscalizar tal ação. Se vou a um restaurante, todo lixo é recolhido e enviado a um aterro, por que isso não acontece nas areias da praia??? Outra questão, quem autorizou os quiosques a utilizarem TODA a praia como se fosse parte de seu quiosque? Cheguei a presenciei casos de brigas devido a esta auto-declaração de propriedade da areia da praia pelos quiosques.
Onde esta a responsabilidade pela proteção da saúde pública e da qualidade do meio ambiente? Quem deverá ser responsabilizado por tal Crime Ambiental os Quiosques ou do Poder Público?
Procurei site da Associação Comercial e Empresarial para entrar em contato e verificar o posicionamento deles sobre isso, mas perdi a esperança quando vi na página inicial uma imagem em seu cabeçalho de uma praia totalmente tomada por guarda-sóis. Desta forma foi fácil saber o posicionamento desta Associação e seus valores sociais e ambientais (anexo 2).
Talvez o caminho fosse entrar com uma ação civil pública no Ministério Público tal como aconteceu no município de Ubatuba onde através de uma decisão da Justiça Federal foi  proibida, entre outras coisas, a colocação de mesas e cadeiras nas praias do município. Quem desrespeitar esta decisão terá o estabelecimento lacrado e todos os equipamentos apreendidos, além de pagar uma multa diária de R$ 10 mil. Ainda nesta decisão, pensando nainoperância do poder público, foi imposta ao Prefeito, a Secretária da Fazenda e o Chefe da Fiscalização da Prefeitura, o pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil, caso esta proibição não seja fiscalizada. Acho que não precisamos chegar a este ponto, mas colocar mesas dentro do mar já é demais.
Fico preocupado com o futuro do Guarujá, uma vez que vejo muita gente vendendo seus imóveis e procurando um novo em outras praias do litoral norte. Adoro o Guarujá e gostaria de cada vez mais poder falar bem dele. É triste estar em algum lugar, dizer que tenho apartamento lá e ouvir dizer que nem de graça teriam apartamento lá devido ao abandono em que se encontra o local.
Vamos fazer algo para mudar este cenário. Ainda temos tempo de novamente termos peixinhos nadando entre nossas pernas. 
Emerson Alexandre Zago
Tecnólogo em Segurança do Trabalho
Biólogo
Pós-Graduado em Gestão Ambiental
Especialista em Gerenciamento Ambiental pelo CRBio
Mestrando em Engenharia Ambiental


Clique nas fotos para ampliar

Um comentário:

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o autor da materia, os quiosques e barraqueiros devem ser os responsaveis pela coleta do lixo deixado pelos seus clientes, pois são poucos os banhistas que recolhem o seu lixo e despositam em locais apropriados, fico imaginando o que seria das praias se não fossem os catadores de latinhas.
ACORDA PREFEITA.