Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Guarujá: caso de intervenção?

Guarujá: caso de intervenção?

Olhar político
Postado por: Rafael Motta - 26/11/2010

As circunstâncias ainda não foram esclarecidas. Mas, salvo melhor juízo, é difícil afastar a hipótese de crime político: o vereador Luis Carlos Romazzini (PT), assassinado nesta madrugada, foi a maior e mais eloquente voz da oposição ao governo – qualquer governo – de Guarujá nos últimos anos.

Não se pode descartar essa razão por causa do terrível histórico guarujaense. Já se disse aqui, mais de uma vez, da imensa pobreza que cerca a cidade, onde em torno de 60% dos habitantes não têm nem sequer moradia digna. Essa chaga é tão intensa quanto a disputa de grupos políticos, talvez a maior entre todos os nove municípios da Baixada Santista.
Vale lembrar um exemplo bem ilustrativo: em meados deste ano, o ex-prefeito Farid Madi e a deputada estadual Haifa Madi (ambos do PDT), anunciaram a desistência da vida pública por causa do risco que corriam o casal e sua família. Os autores disso? Quem sabe?

É preciso assegurar que as brigas políticas não se transformem num festival antidemocrático, em que o contraditório é resolvido a bala. Guarujá precisa de algum tipo de intervenção, do Estado ou do Governo Federal, para que se investiguem com profundidade e certeza os casos de violência.

Se tiver disposição política e sabedoria para reconhecer sua incapacidade em legislar e governar com um mínimo de segurança, a Câmara Municipal ou a Prefeitura estudará uma tentativa de se resguardar o livre exercício do Poder Público, do poder para as pessoas.

Uma ressalva: nem o Estado nem a União podem intervir nas cidades da mesma forma que o Governo Federal pode decretar intervenção (quando lhe é solicitado) nos estados: para “garantir o livre exercício de qualquer dos Poderes nas unidades da Federação”, como fixa o Artigo 34 da Constituição.

Guarujá, porém, não pode mais viver sozinha, desgarrada. Tem de ficar sob observação de uma entidade externa.
É uma vergonha nacional o que acontece na cidade.
Igualmente vexatório é que jamais, em tempo algum, se tem notícia de punição para os criminosos que levaram à morte políticos que contrariaram certos interesses de um município tão incrível, que já teve vice-prefeito arrombando gabinete para trabalhar na ausência do prefeito, vereadores cassados por ´mensalinho´ e ex-prefeito preso por roubo a banco.

O vereador de Guarujá Luis Carlos Romazzini (PT), de 45 anos, registrou um boletim de ocorrência de ameaça de morte no Distrito Policial Sede da Cidade, na madrugada de quinta-feira.

Polícia


Sexta-feira, 26 de novembro de 2010 - 09h28
Homicídio

Vereador Romazzini registrou Boletim de Ocorrência na última quarta-feira

De A Tribuna On-line




Atualizado às 11h55
O vereador de Guarujá Luis Carlos Romazzini (PT), de 45 anos, registrou um boletim de ocorrência de ameaça de morte no Distrito Policial Sede da Cidade, na madrugada de quinta-feira.  

A informação é do delegado Josias Teixeira de Souza, que realizou os primeiros trabalhos de apuração e investigação do caso durante a madrugada. 
A casa do vereador foi depredada por um homem não identificado. 
A porta principal foi arrombada, o imóvel invadido e diversos bens da vítima quebrados. 
Na ocasião, o vereador presenciou o fato, mas o acusado conseguiu fugir. De acordo com amigos da família, a vítima já estava sendo perseguida.
O vereador foi executado com cinco tiros na casa onde morava, em Vicente de Carvalho, na madrugada desta sexta-feira. 
O crime ocorreu por volta da 1h30, depois que homens armados e não identificados invadiram o imóvel. 
Ele, que era casado, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.   Assassinato teria envolvimento com crime político? Leia o artigo do jornalista Rafael Motta, no Blog Política, e comente

Ao menos dois homens armados foram vistos na frente do imóvel, localizado na Avenida Mario Daige, Bairro Jardim Conceiçãozinha, momentos antes da execução. Eles chamaram o vereador, que estava no primeiro andar da casa, dormindo no quarto com a esposa. A vítima, então,   desceu com um revólver em punho e foi ao encontro dos suspeitos, que também estavam armados, segundo o delegado. A mulher da vítima permaneceu no interior da residência. 

A
inda conforme o delegado, houve uma discussão entre os envolvidos momentos antes dos disparos. 
O motivo do desentendimento ainda é desconhecido. Após isso, ao menos cinco tiros foram disparados contra vítima, que foi atingida na cabeça, no abdômen, ombro e nas pernas.
 "Há a possibilidade de mais um suspeito estar envolvido, mas não podemos confirmar. Um inquérito foi aberto e os policiais do 1º DP vão assumir ocaso", explica. 

A
 perícia constatou que um tiro foi disparado da arma do vereador, mas o projétil não foi encontrado. Os suspeitos fugiram em duas motos. Uma delas, modelo Honda Bis de cor vinho, foi roubada do vereador. No início da manhã, policiais militares encontraram o veículo parado na Avenida Santos Dumont, próximo ao local o crime. 
O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da Cidade e passará por exame necroscópico. A área no entorno da residência do vereador está interditada por policiais militares do 21º Batalhão da PM do Interior.
 Velório e enterro
Inicialmente, foi informado pela assessoria de imprensa da prefeitura que o velório ocorreria nesta manhã.  Entretanto, o velório será realizado a partir das 15 horas na Câmara Municipal de Guarujá.  A Câmara fica na Avenida Adhemar de Barros, 1660, no Bairro Jardim Santa Maria. Por volta das 19 horas,  o corpo será levado para Aparecida do Taboado, em Mato Grosso do Sul, para ser enterrado ao lado do pai. Os parentes dele vivem na Cidade. 
Segundo mandato
Além de vereador, Romazzini era professor e também atuava como advogado na Cidade. Há mais de 10 anos estava na região. Na política, entre 2000 e 2002 ele foi suplente na Assembleia Legislativa do Estado. Desde 2004,  ele conquistou uma vaga na Câmara Municipal de Guarujá. Em 2008, conseguiu ser reeleito. Ambas candidaturas representando o Partido dos Trabalhadores (PT). 
Ameaças em 2006
Em outubro de 2006, o deputado estadual Fausto Figueira (PT) solicitou às autoridades da área da segurança pública do Estado, garantia de vida para a Luiz Carlos Romazzini. De acordo com o deputado, o vereador, na época, o vereador foi ameaçado de morte e teve seu automóvel cercado em 19 de setembro do mesmo ano por motoqueiros encapuzados. 
“Ao perceberam que ele não estava no automóvel os motoqueiros abandonaram a perseguição”.
 As ameaças a Romazzini, segundo Fausto,  tiveram origem no processo de afastamento de oito dos 15 vereadores da Câmara Municipal local por corrupção.
 “O Poder Judiciário afastou oito vereadores da Cidade envolvidos em flagrante corrupção com distribuição de dinheiro dentro do gabinete da presidência da Câmara".


http://www.atribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=67500&idDepartamento=11&idCategoria=0

Assassinaram o Professor Romazzini!

Vereador do Guarujá (SP) é assassinado

Homens armados invadiram a residência para cometer o crime

26 de novembro de 2010 | 5h 52

SÃO PAULO - O vereador do Guarujá, no litoral do Estado, Prof. Luis Carlos Romazzini (PT), foi assassinado em sua casa na madrugada desta sexta-feira, 26, por volta da 1h30.

Segundo a polícia, a mulher do vereador ligou para o 190 dizendo que havia homens armados dentro da residência, na Avenida Mário Daige, Jardim Maravilha, tentando matar o seu marido. Quando os policiais militares da 2ª Companhia do 21º Batalhão do Interior chegaram, Romazzini já estava morto.

O caso foi encaminhado ao Distrito Policial central do Guarujá. Romazzini, natural de São Francisco, no interior do Estado, tinha graduação em História e Direito e era casado, sem filhos, segundo seu blog pessoal.


http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,vereador-do-guaruja-sp-e-assassinado,645530,0.htm

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Quem estaria oferecendo curso de higiene no manuseio de alimentos para ambulantes ?


clique nas fotos para ampliar

Quem é ambulante pode se inscrever nesse curso? 
Na verdade deveria proibido esse curso. 
 Fica parecendo que é permitido cozinhar nos carrinhos de praia.
É um absurdo admitir que se cozinhe na praia. 
No meu site de cidadania www.sosguaruja.com mostro muitos (para não dizer todos) fritando porquinho, jogando o óleo na praia e areando as panelas com areia.
Certamente a TV Guarujá vai ter de pensar melhor antes de apoiar atividades ilegais e ou disvirtuadas pois nós guarujaenses temos obrigação de vir aqui, comentar e criticar essa postura de quem quer tapar o sol com a peneira. 
Os carrinhos de praia não podem ter botijão de gás. Proteste contra essa coisa!!!
Daqui a pouco vão fazer um curso para moradores de rua, guardadores de carros e quiosques de sorvetes, esses mais de 100 no Guarujá, sempre fechados sendo usados como outdoor gratuito e vendendo cerveja ilegalmente. 
Acabem com  com isso!!!!

domingo, 21 de novembro de 2010

Plano de saúde tem que seguir o Código de Defesa do Consumidor

A UNIMED do Guarujá nega esse direito aos seus Associados obrigando-os à busca do Poder Judiciário. Você não deve confiar num plano desses.

(05 de setembro de 2009)
Por Assessoria de Comunicação Social, Procuradoria da República em Mato Grosso do Sul via Procuradoria Geral da República
Ministério Público Federal considera que Correios não podem negar procedimento médico a funcionário, quando não houver previsão no contrato do plano de saúde
O procurador da República em Dourados, Mato Grosso do Sul, Raphael Otávio Bueno Santos recomendou à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT), administradora do plano de saúde CorreiosSaúde, que cumpra o contrato do plano e o Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90), não procedendo de forma a negar cobertura de procedimento clínico/cirúrgico a associado quando não houver expressa e destacada previsão no contrato. A recomendação foi acatada.
A empresa havia negado a um funcionário a cobertura de procedimento cirúrgico denominado microcirurgia vascular intracraniana com uso do aparelho neuro-navegador. Para o Ministério Público Federal a utilização do aparelho, além de rotineira nos hospitais do país, foi recomendada pelo médico do funcionário. Além disso, a Lei nº 8.078/90 estabelece que as cláusulas contratuais serão interpretadas de maneira mais favorável ao consumidor.
“As cláusulas que implicarem limitação ao direito do consumidor devem ser redigidas com destaque no contrato, permitindo sua imediata e fácil compreensão”, afirma o procurador. Não era o caso do Correios Saúde, que tinha cobertura contratual do procedimento negado. O fundamento jurídico da recomendação, em tese, poderia ser aplicado a qualquer plano de saúde, já que todos são regidos pelo Código de Defesa do Consumidor.
http://www.denuncio.com.br/noticias/plano-de-saude-tem-que-seguir-o-codigo-de-defesa-do-consumidor/1063/

sábado, 20 de novembro de 2010

Leia o que é um Adenoma da Hipófise-




Clique no link abaixo

http://www.marinhoguzman.com/2010/11/adenomas-da-hipofise-nao-funcionantes.html

Segurado da Unimed vai ser indenizado por recusa indevida de cobertura


A injusta recusa de cobertura securitária pode ensejar dano moral, pois tal fato agrava a aflição psicológica e a angústia do segurado que, ao pedir autorização à seguradora, já se encontra em situação de dor, abalo psicológico e com a saúde debilitada. A consideração é da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça, ao aumentar de R$ 5 mil para R$ 20 mil a indenização por danos morais que a Unimed Natal Sociedade Cooperativa de Trabalho Médico deverá pagar a um segurado do Rio Grande do Norte.
Ele entrou na Justiça contra a Unimed, afirmando que paga em dia as mensalidades desde 1993 e que, ao se submeter, em 25 de maio de 2005, em regime de urgência, a cateterismo cardíaco e a angioplastia, a Unimed negou-se a cobrir os custos relacionados à implantação de stent cardíaco (estrutura tubular de aço inoxidável, em sua maioria, implantada através de cateter para desobstruir as artérias e melhorar os resultados a médio e longo prazo).
Segundo a defesa, o segurado só pôde se submeter ao procedimento porque a família cobriu os custos do referido stent. Na ação indenizatória, ele requereu indenizações por danos materiais e morais. Em primeira instância, a ação foi julgada parcialmente procedente. O juiz excluiu da concessão o pedido de indenização por danos morais.
O segurado apelou, no entanto, e o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte deu provimento à apelação, reconhecendo o descumprimento contratual e o direito à compensação também por danos morais. O valor foi arbitrado em R$ 5 mil.
Insatisfeita, a Unimed recorreu ao STJ, alegando ofensa ao artigo 35 da Lei n. 9.656/98, pois o contrato é anterior à lei que regulou os planos de saúde, não podendo ser regido por ela. Argumentou, ainda, violação do artigo 188 do Código Civil de 2002, sustentando não haver dano moral passível de indenização. O segurado também recorreu em recurso adesivo, pedindo a majoração do valor de R$ 5 mil para R$ 20 mil para os danos morais.
Após examinar a questão, a Terceira Turma negou provimento ao recurso da Unimed. Segundo a relatora do caso, ministra Nancy Andrigui, a Unimed até tinha razão na premissa a respeito da aplicação da lei a contratos celebrados anteriormente à vigência dela. Deixou, no entanto, de apelar da sentença que a obrigou a ressarcir o valor do stent, sendo hoje coisa julgada, impassível do modificação.
Quando à indenização por danos morais, a ministra destacou que a “ressarcibilidade” não advém da referida lei, mas do Código de Defesa do Consumidor (CDC), que era vigente à época da contratação e cuja aplicação à hipótese não é questionada. “Com efeito, ao reconhecer o dever de compensar os danos morais, o acórdão hostilizado apóia-se apenas no CDC”, considerou a ministra.
A ministra considerou, ainda, que, embora o mero inadimplemento não seja causa para ocorrência de danos morais, a jurisprudência vem reconhecendo o direito ao ressarcimento quando há injusta recusa de cobertura securitária. “Com efeito, ao avaliar o transtorno sofrido por pacientes que, submetidos a procedimentos cirúrgicos, têm sua assistência securitária indevidamente negada, esta Corte tem fixado os danos morais em patamares substancialmente superiores”, observou. Deu, então, provimento ao recurso do segurado. “Diante de tais precedentes e do pedido expresso do autor, é justo que o recorrente venha a ser compensado no valor de R$ 20 mil pelos danos morais que lhe foram inflingidos”, concluiu a ministra Nancy Andrighi.

JORNAL A ESTÂNCIA FAZ REGISTRO DE GRAVE DENUNCIA CONTRA DIRETOR DO HOSPITAL SANTO AMARO QUE PODERÁ SER INVESTIGADA PELO PODER JUDICIÁRIO !!!

SÁBADO, 20 DE NOVEMBRO DE 2010

               clique no texto para ampliar



Publicado no Jornal A Estância, Página 2, Edição de 19.11.2010.

Unimed você já leu nos jornais


Você já leu nos jornais que tem gente morrendo nas filas dos hospitais por falta de atendimento médico;
Você viu na televisão que o SUS, Sistema Único de Saúde, que você tem direito, porque paga INSS e impostos outros que deveriam servir para garantir seu atendimento médico, não funciona;
Você preocupado com a sua saúde e a dos seus entes queridos optou por fazer um convênio médico particular e pagar por isso;
Aliás, pagar o que lhe cobram e que certamente pesa bastante  no seu bolso;
Você que paga a UNIMED já percebeu que quando precisa fazer uma consulta ou marcar um exame, tem de esperar de quinze a mais de sessenta dias;
Talvez você ainda não tenha precisado de uma cirurgia e a UNIMED tenha dito que procedimentos seguros e modernos custam mais caro e você deve submeter-se a essa cirurgia por métodos convencionais e menos seguros porque são mais baratos;
Fique atento e junte-se a quem está precisando da força de seus pares para GRITAR MAIS ALTO;
Apóie a nossa causa protestando por uma UNIMED mais transparente e menos gananciosa em seus ganhos;
Você já leu nos jornais, viu na TV e agora isso está acontecendo com quem está próximo de você;
Não espere para se preocupar quando for a sua vez;
Proteste agora ou mude seu plano de saúde.
 A UNIMED do Guarujá não merece a sua confiança;
Se você tiver alguma dúvida fale comigo;
Vou explicar direitinho  as justificativas da UNIMED para negar o pagamento de um equipamento necessário para uma cirurgia de risco;

Marinho Guzman

O que é uma crise para o Sistema Unimed?


Para o Sistema Unimed, crise é todo e qualquer fato que fuja à normalidade operacional das cooperativas médicas, prejudicando ou interrompendo o atendimento aos clientes e acarretando prejuízos à imagem.
Independente da situação de risco, a orientação é tomar providências para que a informação circule rapidamente dentro e fora das cooperativas médicas, conforme sugerido neste Manual.
Segundo resultado do levantamento realizado no Sistema Unimed para a elaboração deste plano de gerenciamento de crise, os assuntos que geram maior preocupação em termos de crise de imagem para as cooperativas são:
· Crise com acionistas e prestadores – hospitais, laboratórios, cooperados etc;

· Denúncias de mau atendimento pela rede credenciada /cooperados;

· Intervenção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (decretação de direção fiscal ou liquidação);
· Denúncias por violação/desrespeito a contratos e ao Código de Defesa do Consumidor;
· Dificuldades financeiras;
· Denúncias de mau atendimento da Unimed;
· Denúncias por violação/desrespeito às legislações tributária e trabalhista;
· Disputa política/processo eleitoral;
· Relação com concorrentes;
· Denúncias de cartelização.
* os tópicos acima foram citados por ordem decrescente de preocupação

Fonte: Unimed do Brasil


Eu vejo na UNIMED Guarujá todos esses problemas. Já está sob intervenção na Agência Nacional de Saúde Suplementar. O próximo passo pode ser a sua liquidação.
Fique atento. Você vai entrar agora num plano que está todo mundo querendo sair?

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Retrato da situação dos usuários dos serviços da UNIMED Guarujá

Veja o link, poste suas reclamações

http://www.reclameaqui.com.br/672296/unimed-guaruja-sp/falta-de-medicos-para-atender/



Guarujá - SP
Sexta-feira, 02 de Julho de 2010 - 23:49

Falta de medicos para atender



É impressionande a incapacidade e a falta de vontade que as pessoas que trabalham na Unimed Guaruja tem em lidar com o atendimento e solução para o problema, há anos pago O Plano de Saude, nunca houve atrasos e de uns tempos para cá o atendimento vem decaindo. Antes quando era preciso marcar consultas com um medico, questao de dias era possivel fazer a consulta, hoje esse tempo varia de 30 dias a 180 dias podendo ate ser mais, e o pior quando ao entrar em contato com a Unimed se quer dão uma posição de como resolver a situação, ou seja, se eu estivesse com uma doença mais grave, por exemplo uma suspeita de cancer seja de pele ou qualquer outro tipo, mais vou considerar o de pele, teria que no minimo aguardar 4 meses para passar por uma consulta medica, ou seja ate lá não poderia iniciar um tratamento adequado, uma vez que o proprio convenio não autoriza consulta em outro municipio, isso porque somente tres medicos estao disponiveis na rede credenciada da Unimed Guaruja, como se isso fosse a coisa mais normal do Mundo. Só para se ter uma ideia a Unimed Santos possui mais de 20 medicos credenciados so na cidade de Santos, sem contar com sao vicente, praia grande, monguagua, peruibe, itanhaem, cubatao etc. É um total DESPREPARO, FALTA DE RESPEITO, COM O CONSUMIDOR, OS GESTORES SE QUER TEM COMPETENCIA PARA GERIR O PLANO, falta médicos para atender a demanda, falta atendimento de emergencia e urgencia, falta tudo!!! FALTA COMPETENCIA QUE É O MAIS IMPORTANTE.
É MAIS FACIL SER ATENDIDO PELO SUS DO QUE PELA UNIMED GUARUJA!!!!!???? PARA ONDE VAI O DINHEIRO QUE É PAGO PRA VCS FDP!!!!!!!??????


http://www.reclameaqui.com.br/672296/unimed-guaruja-sp/falta-de-medicos-para-atender/

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Vamos moralizar a UNIMED Guarujá ! Com o ser humano não se brinca!

Muita bronca com a UNIMED Guarujá, que não cumpre com suas obrigações contratuais.

 Ao não liberar uso de equipamentos modernos nas cirurgias de seus associados em razão do custo,nega a liberdade, capacidade e idoneidade dos médicos cooperados da sua própria cooperativa.
Quem houver sido lesado pela UNIMED favor entrar em contato comigo. Em primeira instância desejo obter liminar e em seguida pleitear danos morais. 
Com o ser humano não se brinca!!!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Boca no Trombone Guarujá: AÇÃO CIVIL PÚBLICA - AUTOS Nº 95.0207496-3

Preservação da Fortaleza da Baara, Portal ESpanhoel e Fortim do Góes, de lá para cá, infelizmente, nem IPHAN, Prefeitura de Guarujá e demais envolvidas fizeram nada a impedir que uma Pousada fosse construida na Parede do Fortim do Góes.

AUTOS Nº 95.0207496-3
AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
RÉUS: UNIÃO FEDERAL, SOCIEDADE AMIGOS DA
MARINHA- SOAMAR e INSTITUTO DO PATRIMÔNIO
HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN.
SENTENÇA
Cuida-se de ação civil pública ajuizada pelo
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
FEDERAL
em face da UNIÃO, SOAMAR – SOCIEDADE AMIGOS DA MARINHA e
IPHAN – INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E
ARTÍSTICO NACIONAL
causados a bem de valor histórico, cumulada com obrigação de fazer e
indenização pleiteada de forma sucessiva.


Boca no Trombone Guarujá: AÇÃO CIVIL PÚBLICA - AUTOS Nº 95.0207496-3: "AÇÃO CIVIL PÚBLICA - AUTOS Nº 95.0207496-3 já tratava do caso da preservação da Fortaleza da Baara, Portal ESpanhoel e Fortim do Góes, de l..."

PoupaFarma é farmacia ou mercadinho?

Isso é uma farmácia ou um mercado? Postado em agosto de 2009.Nada mudou!

Clique nas fotos para ampliar



Essa farmácia na Rua Mário Ribeiro na Praia de Pitangueiras abusa do direito que diz ter de anunciar.
Em postagem anterior recebemos e-mail de seu representante que alega usar corretamente a sinalização que estaria de acordo com a legislação.
Pode até estar...não tenho certeza mas tenho todo o direito de achar que mais parece um mercado, um atacadão do que uma farmácia.
Aliás, segundo informações já foi aprovada legislação para que as farmácias retirem TODOS os remédios das gôndolas e os coloquem fora do acesso dos consumidores, seja qual for a tarja, devendo o cliente solicitar ao balconista.
Na ocasião da minha reclamação, fui comprar o remédio Genérico, denominado Genfibrozila, 900 mg.,tarja vermelha, do laboratório EMS.
Alertado pela propaganda que dizia compre dois e leve três, pedi duas caixas para "ganhar" a terceira. O balconista informou que só tinha duas caixas. Contrariado, paguei as caixas e fui embora.
Neste sábado, dia 29 de agosto de 2009, voltei à farmácia com a embalagem do remédio, que uso continuamente faz mais de cinco anos por pescrição médica e solicitei-o ao balconista.
Inicialmente ele me perguntou se poderia ser de outro laboratório e eu disse que não, que gostaria de ter do mesmo laboratório. Mas perguntei porque ele ofereceu, se o outro seria melhor ou mais barato. Sua resposta foi que o outro tinha 15 comprimidos ao invés de doze. Perguntei o preço e ele disse que custaria cerca de R$30,00.
Perguntei nesse momento quanto custa o que solicitei e a informação foi que custa R$ 15,65. Perguntei então se a promoção de "compre dois e leve três" continuava válida. Ele me informou que só para o "outro", o mais caro.
Expliquei então a ele que na minha compra anterior eu não havia levado o terceiro porque não tinha na farmácia. Ele me explicou que a promoção só seria válida para os remédios de uso continuado e que estivessem em uma lista.
O assunto só não foi para frente porque a gerente tentou me explicar que estando escrito isso(mesmo que em letras menores) no cartaz, a legislação estaria sendo obedecida.
Bem...não vou continuar com esse assunto que para mim contraria diversas leis e convenções éticas e morais.
Se nessa farmácia é assim eu também tenho o direito de pedir que as autoridades verifiquem se a postura da farmácia está correta.
Bem... e ficamos assim! Para mim parece mais um supermercados do que uma farmácia!
Aguardemos novos acontecimentos pois como diz o velho ditado popular " o jarro tanto vai à fonte que um dia quebra" Não é de hoje que as denúncias de um consumidor somam-se às de outro e de mais outro e um dia quem transgride as leis é obrigado a responder pelos abusos, se existirem.

Rua Mário Ribeiro 531 Guarujá Pitangueiras.
Quem sabe eu ainda resolvo e levo minha reclamação ao PROCON do Guarujá que dizem está sendo dirigido por uma moça de nome Vera e que é conhecida pela diligência com que trata das coisas sob sua responsabilidade.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Muros das casas na Praia de Pernambuco levam perigo aos frequentadores

Bom dia.
Estou entrando em contato pois visitei o site SOS Guaruja e achei bastante interessante.
Temos uma casa na Praia de Pernambuco e estamos muito preocupados com a situacao da mesma.
Nao bastasse a faixa de areia ser muito estreita, pois parece que algumas residencias nas beira da praia tem jardins maiores do que o necessario, algumas dessas residencias estao abandonadas e apos as ultimas ressacas os muros cairam na praia e ja estao assim ha alguns meses.
As pessoas ficam sentadas na areia proximas dos muros ruidos e e um preigo, pois eles parecem que vao cair a qualquer momento. Isso sem contar que as residencias estao abandonadas e abertas o que tenho certeza em breve serao invadidas causando outros problemas aos frequentadores da praia.
Estou encaminhando algumas fotos dos muros caidos e gostaria de saber a quem devemos recorrer para tentar resolver este problema. Pagamos uma foturna de IPTU e nossa praia esta ficando horrorosa.
Muitos turistas de outras partes de pais e ate do exterior frequentam essa praia e nos moradores temos ate vergonha do que eles encontram.
Grata pela atenção
Att
Elizabeth Wrigg


Clique nas fotos para ampliar





  • Praia de Pernambuco - Guaruja‏