Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Casa de Paulo Maluf, no Guarujá, é alvo de bandidos




TV Tribuna

Créditos: Reprodução TV

A casa do deputado federal Paulo Maluf, localizada na Praia da Enseada, no Guarujá, foi alvo de bandidos nesta madrugada. Ninguém foi preso. 

A casa fica na Avenida Miguel Stefano.  A família do caseiro dormia e não percebeu a ação dos bandidos. 

De acordo com a polícia, os ladrões entraram na residência pulando um portão, pulando o muro, depois arrebentaram a porta da residência e levaram alguns objetos do deputado.  O caseiro só percebeu o assalto na manhã desta quarta-feira quando foi levar o filho na escola. 

Os marginais ficaram somente na garagem da casa do deputado. De acordo com o Boletim de Ocorrência, os ladrões levaram uma lavadora de pressão, extensão elétrica, cadeiras, ferramentas de manutenção e uma bicicleta. 

De acordo com o investigador Val Gerioli, o bairro tem sido alvo de bandidos nos últimos dias. “Um trabalho preventivo está sendo feito. Inclusive um trabalho de investigação para  levantar realmente quem está fazendo esses furtos qualificado na região”.

FAB procura helicóptero que viria para o Guarujá


Baixada Santista


Terça-feira, 30 de agosto de 2011 - 23h14
Buscas

G1



Um helicóptero desapareceu em São Paulo nesta terça-feira. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), até as 19h30 não havia informações oficiais sobre o número de pessoas que estavam a bordo.

A aeronave de prefixo PP-CLE decolou do Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas, no interior do Estado, às 8h, com destino ao Guarujá. A previsão era de que o helicóptero chegasse à cidade no fim da manhã.

A FAB fez buscas pela aeronave durante a tarde, mas nada foi encontrado. O trabalho será retomado na manhã desta quarta-feira.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Relaxando no Guarujá, Miss Brasil dá palpites sobre vencedoras


0/08/2011 - 14h45

Fábio Luís de Paula
Do UOL Tabloide
No Guarujá (SP)


Imagens do dia

Foto 34 de 45 - Misses posam para foto durante evento do concurso Miss Universo 2011 no Casa Grande Hotel, no Guarujá, litoral de São Paulo Mais Fábio Luís de Paula/UOL
Nesta terça-feira (30), as candidatas à coroa do Miss Universo 2011 tiveram um dia de princesa. As beldades passaram a manhã e parte da tarde no Casa Grande Hotel, reduto de luxo do Guarujá, litoral paulista, tirando fotos e relaxando à beira da piscina.
Logo cedo as meninas fizeram sessão de fotos pelo local, falaram com a imprensa e posaram de biquíni na praia. Representante do Brasil no concurso, a gaúcha Priscila Machado, 25, estava bastante à vontade com as colegas e contou um pouco sobre a rotina de miss. 
"Está muito corrido. Tenho dormido pouco também, mas são só três semanas de concurso e são dias que não se repetem mais", conta a beldade, que tem se destacado dentre os eventos e compromissos sociais e beneficentes na extensa lista de atividades das candidatas. "Como sou a anfitriã, dou mais entrevistas."
Sobre a vencedora, Priscila prefere não arriscar palpite e dá aquela resposta tradicional de miss: "É complicado apostar agora, pois são níveis diferentes de beleza. O nível está bem emparelhado". Mas o UOL Tabloide forçou um pouquinho e ela revelou algumas opções. "Gosto da (Miss) China, Angola, Estados Unidos e Finlândia", conta.

Miss Brasil 2011 convida internautas para o Miss Universo

Homem rouba viatura da PM em Vicente de Carvalho

Guarujá


De A Tribuna On-line



Um homem não identificado foi baleado por policiais militares depois de roubar uma viatura oficial da corporação, em Vicente de Carvalho, no Guarujá. O crime aconteceu na manhã desta terça-feira e mobilizou equipes entre os Bairros Paecará e Jardim Conceiçãozinha. 

O veículo estava estacionado em frente ao Supermercado Krill, na Avenida Santos Dumont, altura do número 1.503. Quase 2,5 Km à frente, ele foi interceptado por outras equipes da Polícia Militar. Para tentar pará-lo, os soldados dispararam várias vezes contra o carro e balearam o acusado.

Informações preliminares indicam que não houve troca de tiros, já que o homem não estava armado. Ele foi levado em estado grave para o Hospital Santo Amaro, onde passou por cirurgia. Em razão das perfurações, ele corre o risco de morrer.

A Polícia Militar foi procurada, mas ainda não se pronunciou sobre o ocorrido. A Polícia Civil, responsável por dar continuidade ao caso e apurar as circunstâncias do crime, afirma que fez perícia na viatura, mas aguarda os policiais envolvidos para registrarem a ocorrência. 
O caso está sob os cuidados do 2º Distrito Policial de Vicente de Carvalho.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Em cada 100 processos, apenas 30 são concluídos

Justiça lenta



G1


  1. Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostram que, ao longo do ano passado, de cada cem processos novos e pendentes que tramitam no Judiciário, apenas 30 foram finalizados. Essa taxa de congestionamento de ações judiciais subiu de 67%, em 2009, para 70% registrados no ano passado. O relatório “Justiça em Números 2010”, feito com base em informações enviadas por tribunais de todo o país, foi divulgado nesta segunda-feira.

  2. >>> Enquete: você já se sentiu prejudicado pela lentidão da Justiça? De acordo com o presidente do CNJ, ministro Cezar Peluso, esses dados serão usados para analisar os entraves à eficiência da Justiça brasileira.“Não posso dizer de imediato se isso significou ou não alguma coisa menos relevante ou mais relevante. Todo mundo sabe que esses números não deixam nenhuma dúvida de que há um deficit muito grande em relação às demandas da sociedade e a capacidade do Judiciário de responder. É preciso ir a cada causa em si que tem de ser verificada agora a partir dos números. Os números, na verdade, são uma coisa preocupante. É com base neles que o Judiciário vai tentar saber o que é que está acontecendo”, disse Peluso.O maior ponto de congestionamento, segundo os dados do CNJ, é a Justiça estadual, em que apenas 28 de cada cem processos foram resolvidos ao longo do ano. Segundo o estudo, esse ramo da Justiça está “abaixo da média” e é responsável pelo aumento da taxa global de processos parados.O relatório afirma ainda que um dos principais gargalos são as execuções fiscais, que são as cobranças de dívidas na Justiça. Esse tipo de processo, na primeira instância, tem uma taxa de 91% de congestionamento. As execuções fiscais correspondem a 34% dos 83,4 milhões de processos que tramitam no Judiciário brasileiro.Fase finalOs números revelam ainda a dificuldade de efetivar uma decisão já tomada pela Justiça. Segundo relatório, na fase final do processo, que é a execução ou o pagamento efetivo da dívida, a taxa de congestionamento chega a 84%.O presidente do CNJ afirma que a maioria das execuções fiscais é resultado de cobranças de valores reduzidos feitas por entidades e órgãos de classe. Segundo ele, uma ação na Justiça para cobrar R$ 1,5 mil custa, em média, R$ 4,5 mil ao Judiciário.“Essas entidades ocupam o Judiciário com numero elevadíssimo de demandas para cobrar as taxas de pagamento desses organismos de valores baixíssimos. Atrás do dado do número de feitos das execuções fiscais, tem essas realidades. Se ao invés de vir diretamente ao Judiciário eles se submetessem a algum mecanismo prévio na área administrativa dentro de um prazo razoável de tentar resolver isso aliviaria muito o poder Judiciário”, disse Cezar Peluso.ContradiçãoO levantamento aponta ainda uma contradição na rotina do Judiciário brasileiro. Em 2010, a Justiça recebeu 24,2 milhões de ações, 1,1 milhão a menos que o volume de ações que ingressadas no ano passado, o que representa uma queda de quase 4%.“Entraram menos casos, mas também menos casos foram solucionados em 2010.Esperamos que isso possa refletir nos próximos relatórios”, disse o conselheiro do CNJ, José Guilherme Vasi Werner.Força de trabalhoOutra demanda da Justiça brasileira, apontada pelo CNJ como “urgente”, é a quantidade de magistrados para dar conta da demanda do país. Segundo os dados do levantamento, o Brasil tem aproximadamente 9 magistrados para cada 100 mil habitantes.No ano passado, havia no Brasil 16,8 mil magistrados, 3,2% a mais que em 2009. Para o conselheiro do CNJ, apesar do crescimento ainda há uma defasagem na Justiça brasileira em relação a outros países.“O Brasil está um pouco abaixo em número de magistrados por habitantes em relação a outros países. No entanto, a gente sabe que o Brasil tem certas peculiaridades como, por exemplo, a grande demanda referente aos órgãos governamentais. Essa peculiaridade do Brasil de grande litigiosidade desses setores também impacta no serviço do Judiciário”, afirmou o conselheiro.DespesasO relatório de 2010 mostra ainda que a Justiça brasileira continua gastando a maior parte do seu orçamento com despesas de pessoal.No ano passado, os gastos com recursos humanos nas esferas Estadual, Federal e do Trabalho chegaram a R$ 36,7 bilhões , quase 90% da despesa total da Justiça. Os dados mostram ainda que o funcionamento do Judiciário brasileiro custa em média R$ 212 por habitante.

GUARDADORES DE CARROS

        
Poucas coisas há que incomodam tanto os motoristas e cidadãos, como os guardadores de carros.
Irritam as pessoas que se sentem espoliadas, não pelo trocado que são obrigados a depositar nas mãos sujas desses malandros, que ganham mais do que a maioria dos brasileiros que trabalham honesta e duramente, com horário e outras obrigações.
É o sentimento de que os vagabundos usam o dinheiro para comprar drogas e bebidas, olhando os carros para que só os de sua gangue roubem o que  houver de valor  neles deixados.
Mas não é só. Já me perguntei porque  tanta dificuldade em acabar com os marginais e a resposta é mais do que suficiente para culpar as autoridades de omissão pelas ofensas que vi todo o tipo de cidadão honesto  ter que ouvir da boca desses criminosos que são defendidos por quem não percebe a diferença entre o crime que se alastra e os problemas sociais.
Problemas sociais são os milhares de nordestinos que morrem de fome no deserto artificial das secas mantidas por Toninhos Malvadezas e seus cupinchas. Problemas sociais são os criados pelos políticos criminosos que empilham mendigos nas favelas, alimentando-os de esperança para deles roubarem os votos, único bem que possuem e não sabem.
Esses marginais que perambulam pela cidade são menos um problema social do que a prova da incapacidade dos vereadores, prefeitos, governadores e do presidente da República que não cumprem as suas obrigações de usar e fiscalizar o uso do dinheiro que recebem dos impostos e que é mais do que suficiente para termos um país decente, não fossem os escândalos por eles criados e acobertados, das falcatruas  financeiras e outras  tão conhecidas.
Evitar um só desses escândalos seria suficiente para transformar todos os guardadores de carros em jovens na escola, no trabalho ou na cadeia, únicos lugares para a  os jovens que se pretende sejam os cidadãos amanhã. Essa é a resposta que damos aos políticos corruptos e que são os mesmos que alegam que os empresários não oferecem soluções para os problemas da cidade. 
A solução e bem empregar o dinheiro público.
Além da solução, fica o alerta dos últimos acontecimentos do cenário nacional, onde aqueles que se achavam poderosos e inatingíveis estão vendo cair por terra a impunidade e como os marginais de todo o tipo, indo parar na cadeia.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Guarujá busca ter farmácia 24 horas

Reivindicação


Simone Queirós

Créditos: Rogério Soares
Farmácias não são obrigadas a funcionar durante a madrugada, mas vereador aponta necessidade

















Quem tiver que comprar remédio para dor de cabeça de madrugada, em Guarujá, provavelmente voltará para casa com enxaqueca. 
A Cidade não possui farmácia que funcione 24 horas. 
A situação motivou uma indicação do vereador Válter Suman (PSDC), aprovada este mês e já publicada no Diário Oficial do Município. Ele pede que o Executivo determine à secretaria competente estudos visando a implantação de plantões após a meia-noite entre as maiores redes farmacêuticas instaladas em Guarujá.

A reportagem também constatou o problema recentemente, ao percorrer mais de dez pontos a partir das 23h30 no Centro, Enseada e Vicente de Carvalho. Suman, que é médico, diz que tomou a decisão baseado nas angústias de doentes e familiares que precisaram recorrer a uma farmácia de madrugada."Parece coisa pouco significativa, mas muitos pacientes apresentam crise hipertensiva, complicação, por falta de uma única dose". 




Experiência

Ele próprio já passou por um drama há cerca de um ano e meio. "Meu pai infelizmente esqueceu de tomar uma dose no horário correto e lamentavelmente veio ater um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e faleceu. Eu não gostaria de ver um paciente meu ir parar na UTI porque não conseguiu comprar medicamento. Acho que é uma indicação simples, mas com efeito fantástico sobre  a população".

Suman destaca que há grandes redes de farmácia na Cidade."Elas geram empregos,arrecadam uma grande quantidade no nosso Município. Acho que seria um pequeno sacrifício diante do retorno que têm". Outro vereador também se preparava para tomar a mesma providência. Cândido Garcia Alonso (PMDB) chegou a elaborar um requerimento destacando a Lei Municipal 1.432, de1979.

Já naquela época Guarujá estipulou que as farmácias e drogarias estariam sujeitas a plantão obrigatório especial entre 22 e 8 horas. Porém, a lei não deixa claro se a abertura é obrigatória ou opcional. 



Pela determinação, o regime de atendimento noturno poderia ser feito "de portas abertas, de portas fechadas, gradeadas ou por postigos, mediante a afixação de placa indicativa, mediante a afixação de placa indicando onde pode ser encontrado o responsável pelo atendimento ou mediante a afixação de placa indicando o estabelecimento mais próximo em funcionamento naquele período".


Providência

A Prefeitura afirma que"entrará em contato com as redes de farmácia para buscar um acordo no funcionamento destes estabelecimentos pelo período de 24 horas, sem que a população e os estabelecimentos sejam prejudicados".

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

A morte sem repercussão de Romazzini, de Guarujá


Por Juliana

Infelizmente a morte de Romazzini não foi noticiada como deveria. A Folha deu somente uma notinha sobre o caso. Alguns sites noticiaram, mas não com a gravidade que o caso merecia: Romazzini foi assassinado pela sua postura política no Guarujá. Isso mesmo. Assim como nos tempos da ditadura, ele morreu por fazer oposição à classe política corrupta e dominante que vai levando esta cidade ao caos. E com a morte dele, também morreu toda a oposição do Guarujá. Explico.
Romazzini chamou a atenção quando, em 1994, ainda sargento do exército, escreveu um artigo criticando o então presidente Itamar Franco. Ficou 60 dias preso. E nem por isso cessou sua luta, pois dois anos depois, em 1996, se candidatou a vereador. Perdeu. Em 1998, tentou ser deputado, com chances irrisórias de vencer, apenas como protesto ao exército. Perdeu, claro.

Já ia perder tantas eleições quanto Lula, quando em 2004 conseguiu se eleger a vereador. Em seu primeiro mandato chamou a atenção principalmente por duas coisas. Por denunciar o Mensalinho do Guarujá. Este Mensalinho parecia muito com o Mensalão do DEM, de Brasília. Aqui, o prefeito Farid comprava votos dos vereadores da Câmara. Eles recebiam cerca de 10 mil reais por mês. Chamou atenção também por quase ser desfiliado do PT por não apoiar Farid, que tinha um petista como vice.
Como vereador, ele cumpria todas as suas funções: tanto propondo projetos relevantes à cidade, quanto ao fiscalizar seus pares e a Prefeitura.
Na última eleição, apoiou a atual prefeita Antonieta, apostando que seria uma salvação diante do inferno de Farid. Porém, logo rompeu com ela, pois tudo o que ela prometia e pretendia caiu por terra nos primeiros meses de sua gestão - tornando-se administradora tão pífia, ou pior, quanto Farid.
Neste ano, concorreu a deputado federal, perdeu, mas obteve 22 mil votos no Guarujá. Ou seja: era o candidato mais forte à prefeitura do Guarujá em 2012.
Muitos são os suspeitos de sua morte. Com o estrago que ele já fazia como vereador, o que ele poderia fazer como prefeito?! Eram muitos interesses. Ele chegou a pedir proteção à polícia, registrou diversos BOs, e entregou à polícia uma gravação com outros vereadores planejando sua morte. Chegou até a andar com colete à prova de balas.
O Romazzini era um político raro nos dias de hoje. Lembrava os petistas da antiga, que não se preocupavam com o marketing - suas entrevistas eram prova disso - e lutavam pelos seus ideais até a morte. Literalmente.
É uma pena que a morte de político tão relevante tenha passado tão despercebida pela imprensa. Retrato dos tempos!
Eu disse que a morte dele é também a morte da oposição de Guarujá. Mas é muito mais do que isso. É a morte da esperança. Era um político que ia muito além de sua região. E é muito lamentável que a primeira vez que a maioria das pessoas ouviram falar seja justamente no momento de sua morte.
Talvez seja bacana se o blog fizesse um esforço maior para conhecê-lo. Ele representava o PT com afinco em todas as suas entrevistas e discussões na Câmara.

domingo, 21 de agosto de 2011

Dificuldades para venda de facilidades ?Se este mesmo “jeitinho” é utilizado de forma a obter recompensas, então há outro nome para isso: corrupção.


Por Claudio Marlus Skora

O senso comum nos mostra o entendimento da burocracia como a forma pelo qual são estabelecidos procedimentos para que se diminuam a agilidade de processos. 
Outra visão refere-se ao apego dos funcionários aos regulamentos e rotinas, causando ineficiência à organização. Porém, na verdade, estas são disfunções do termo, que tem significado exatamente oposto.
A burocracia é uma forma de organização humana que se baseia na racionalidade, isto é, na adequação dos meios aos objetivos (fins) pretendidos, a fim de garantir a máxima eficiência possível no alcance desses objetivos. Max Weber (1864-1920), sociólogo alemão, foi o criador da Sociologia da Burocracia e em seus estudos estudou esta forma de organização eficiente por excelência. E para conseguir essa eficiência, a burocracia precisa detalhar antecipadamente e nos mínimos detalhes como as coisas deverão ser feitas. Este detalhe é que garante a eficiência da mesma.
Com o passar do tempo, da criação de procedimentos criteriosamente estudados, dos exaustivos estudos sobre tempos e movimentos, dos detalhamentos de processos e da criação de sistemas anti-fraudes, o que era para ser exemplo de funcionamento – racionalmente estabelecido – passa a ser justamente o motivo de descontentamento de clientes e contribuintes.
A organização pública, mais afetada pelas disfunções da burocracia é a que mais tem impacto em sua imagem pelo considerado excesso de zelo.
Em reuniões com empresários, inúmeras vezes escutei que o excesso de procedimentos era, na verdade, proposital pois com isso poder-se-ia “criar dificuldades para vender facilidades”. Indagando mais sobre a afirmação escutei “o jeitinho brasileiro resolve tudo, desde que você conheça quem e quanto”.
É difícil acreditar que as dificuldades sejam propositais. Mas é muito fácil crer na criatividade brasileira em burlar regras de modo a forçar as instituições funcionarem de modo mais ativo. Se encarado deste modo, o “jeitinho brasileiro” é um exemplo de capacidade brasileira em resolver problemas.
Se este mesmo “jeitinho” é utilizado de forma a obter recompensas, então há outro nome para isso: corrupção.

Sigam o dinheiro...



O “caso Watergate” foi um escândalo político ocorrido na década de 1.970 nos Estados Unidos, que ao vir a público acabou com a renúncia do presidente Richard Nixon.
Watergate foi um caso clássico de corrupção política, que denunciado por um grande jornal americano levou dois jovens jornalistas, Bob Woodward e Carl Bernstein, com o auxílio de um informante apelidado de “garganta profunda” a provarem que Nixon sabia das operações ilegais.
Todo o caso foi magistralmente contado no cinema por um filme adaptado por Alan J. Pakula, (Todos os Homens do Presidente) que teve as interpretações de Robert Redford e Dustin Hoffman nos papéis dos dois jornalistas investigativos.
No Brasil todos os dias há corrupções até maiores das que levaram o presidente Nixon à renúncia e que acabam dando em nada.
Quase todos lembramos do “mensalão”, do governo Lula e do “mensalinho” do governo Farid Madi, aqui na nossa cidadela.
Num e noutro, uns peixes pequenos, deputados e vereadores, foram afastados e renunciaram, mas maioria continua na vida pública e nunca foram de fato punidos.
Uma das máximas que o caso Watergate deixou para a elucidação dos casos de corrupção foi  “sigam o dinheiro”.
Lá, um cheque de doação de campanha foi parar na conta de um dos implicados no caso. Aqui dinheiro vivo era dado aos vereadores que foram filmados metendo a mão na grana, no que foi apelidada de “Festa da Tainha”.
Para mim um nome impróprio, pois na época da pesca, a Tainha pode ser considerada um peixe grande, já aqui, os vereadores sempre foram “lambaris” que se contentaram com migalhas atiradas pelos “tubarões”.
 Existem muitas diferenças entre o caso Watergate e o caso da Festa da Tainha, dos quais posso citar alguns:-
1. Guarujá nunca teve um grande jornal,.
2. Os que existem são editados, na maioria das vezes por quem se diz ou se acha jornalista.
3. O Inconfidente Manoel Vergara não é nenhum Carl Bernstein, não é jornalista de verdade e só lembraria o Dustin Hoffman quando ele fez aquele filme, Pequeno Grande Homem, onde aparecia todo deformado e era corcunda... (aqui uma pequena lembrança  ao próprio Vergara, que perde o amigo mas não perde a piada).
4. A Justiça no Brasil precisaria ter ainda umas dez Constituições para chegar à dos Estados Unidos.
5. Aqui com qualquer migalha os lambaris ficam satisfeitos.
6. A Estância nunca vai ser um Washington Post.
7. Jornalistas, que seguem o dinheiro acabam com dinheiro.
Bem voltando ao dinheiro do título, “Sigam o dinheiro”, o Vergara tem se saído muito bem em mostrar quais são as empresas contratadas que recebem a grana.
Também há rumores que as migalhas continuam a ser distribuídas e é certeza de que grandes contratos geram grandes lucros e que o lucro existe para ser distribuído.
Levando em conta o padrão de vida que tinha quem fica com a grana, não é difícil chegar naquilo que a Justiça chama de sinais exteriores de riqueza.
Meu conselho é: Sigam o dinheiro!
Para quem quer ficar com uma parte dele é o caminho. 
Porque para punir os culpados... para isso não há caminho nem GPS que resolva, só se a gente topar com a sorte. Muita sorte...