Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

domingo, 15 de janeiro de 2012

15/01/2012 - 13h54 Mais 2 corpos são achados em navio, e número de mortos chega a 5



DAS AGÊNCIAS INTERNACIONAIS


Dois corpos foram encontrados no interior do navio Costa Concordia, que naufragou na noite de sexta-feira (13) perto da ilha de Giglio, na região da Toscana, na Itália. Com mais essas duas vítimas, subiu para cinco o número de mortos no acidente. Segundo a imprensa internacional, ainda há desaparecidos, mas o número é incerto e pode chegar a 38 pessoas.
As duas vítimas, dois homens, foram encontradas por mergulhadores da Guarda Litorânea na parte traseira do navio, que encalhou nas águas do mar Mediterrâneo. Eles estavam na cabine quando o navio bateu numa rocha.


Antes dos corpos serem encontrados, o governador da região da Toscana, Enrico Rossi, anunciou que onze passageiros e sete tripulantes seguiam desaparecidos.
Ao todo, 4.229 pessoas viajavam no navio, que levava 3.209 passageiros de 62 países, a maioria italianos, franceses e alemães.
Neste domingo, três sobreviventes foram resgatados de dentro da embarcação: um casal sul-coreano e o comissário-chefe do cruzeiro. Dois japoneses que desceram no último porto onde o Costa Concordia havia parado, em Santo Stefano, foram de ônibus com mais outros dois amigos, também do Japão, para Roma. Eles eram considerados desaparecidos, mas foram localizados em Roma.
Essa confusão com os japoneses pode explicar, em parte, a dificuldade da contagem do número de desaparecidos. A possibilidade que os passageiros têm de descer em portos diversos ao longo do percurso do cruzeiro --somada ao fato de que os passaportes podem estar perdidos dentro do navio-- impossibilita que as autoridades e companhia afirmem corretamente quantas pessoas continuam desaparecidas.
Editoria de Arte/Folhapress
O Concordia fazia uma rota com duração de sete dias pelo mar Mediterrâneo, com escalas nas cidades de Savona (Itália), Marselha (França), Barcelona (Espanha), Palma de Mallorca (Espanha) e nas italianas Cagliari, Palermo e Civitavecchia.
O arquipélago onde está situada a Ilha de Giglio fica a cerca de 80 km de distância de Roma. Segundo relatos da imprensa europeia, após o encalhe da embarcação pequenas barcos tentaram a ajudar no resgate dos passageiros e tripulantes.
De acordo com o site do Costa Concordia, a embarcação "é o maior e mais imponente navio de toda a frota Costa com 112 mil toneladas, mais de 500 varandas privativas nas 1.500 cabines".

Nenhum comentário: