Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

sexta-feira, 16 de março de 2012

Delegado geral de polícia acompanha investigações sobre assassinato de Ricardo Joaquim

Execução em Guarujá


De A Tribuna On-line
Créditos: Alexsander Ferraz
Investigações sobre o caso correm sob sigilo

O delegado geral da Polícia Civil de São Paulo, Marcos Carneiro Lima, vai acompanhar as investigações sobre o assassinato a tiros do ex-secretário de governo de Guarujá, Ricardo Joaquim de Oliveira. 

A participação do delegado no caso atende a um pedido feito pela prefeita de Guarujá Maria Antonieta ao Governo do Estado na última terça-feira. No encontro, realizado na Capital, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) se comprometeu a dispor dos melhores quadros da Polícia Civil, além de garantir empenho máximo nas investigações. O objetivo é evitar outras situações dessa natureza. 

A Polícia Civil investiga indícios de que integrantes do crime organizado teriam executado o ex-secretário de Governo do Guarujá, Ricardo Joaquim. A suspeita é de que eles teriam ramificações em alianças políticas da Cidade. 

“No momento, não é descartada nenhuma possibilidade. Porém, a polícia deixa claro que trabalha com fatos concretos e não especulações”, afirma Lima.

O teor do encontro entre o delegado geral e a Polícia Civil de Guarujá não foi revelado à imprensa, já que as investigações correm sob sigilo. A reunião teve por objetivo traçar estratégias de investigações, a fim de descobrir os responsáveis pela morte de Joaquim. 

Crime  

Ricardo Joaquim foi morto no dia 8 de março, com três tiros, quando participava de uma reunião do Partido Pátria Livre (PPL), no Jardim Conceiçãozinha, em Guarujá.

Testemunhas afirmam que duas motos pararam na porta da sede, com quatro pessoas, sendo que uma delas entrou com uma pistola calibre 45, de uso exclusivo das Forças Armadas, sem tirar o capacete. O homem disparou várias vezes na direção de Ricardo Joaquim, que morreu no local, sem tempo do Resgate prestar os primeiros socorros. Os tiros atingiram, ainda, de raspão, Carlos Alberto de Souza, secretário do partido. O autor dos disparos fugiu em uma Honda Biz preta. 
Ricardo Joaquim levou tiros no corpo e na cabeça.


Créditos: Rogério Soares
Ricardo Joaquim foi morto com três tiros, quando participava de uma reunião do Partido Pátria Livre (PPL)

Exonerado

Ricardo Joaquim foi exonerado do Governo de Guarujá no último dia 1º de março, após a prefeita Maria Antonieta de Brito (PMDB) desmentir o boato de sua saída. 

Considerado o homem forte do Governo, ele informou à reportagem, na ocasião, que estava extremamente surpreso com sua saída, principalmente pelo fato de estar licenciado. O político havia feito no dia 2 de fevereiro uma cirurgia no abdômen. 
Ainda em entrevista A Tribuna, Ricardo Joaquim mencionou que sua saída poderia ter sido motivada pela cobrança para melhorar a área da Educação. 

Sequestro-relâmpago

Antes de assumir a Coordenação Governamental de Guarujá, Ricardo Joaquim esteve à frente da Secretaria de Segurança do Município. No dia 11 de maio de 2010, enquanto ainda presidia a pasta, o político foi vítima de um seqüestro-relâmpago. 

Ele foi mantido refém durante aproximadamente 3 horas. Ricardo Joaquim foi liberado na Rodovia Cônego Domênico Rangoni, próxima à Pedreira Metrovale. O carro dele, sem a chave, também foi deixado no local. Na fuga, foram levados R$ 800,00 da vítima. 

Execuções 

A cidade de Guarujá já soma, pelo menos, cinco casos de políticos assassinados. Em 26 de novembro de 2010, o então vereador Luis Carlos Romazzini (PT), de 45 anos, foi executado com cinco tiros na casa onde morava, em Vicente de Carvalho. Três homens armados teriam invadido o imóvel durante a madrugada. 

Em outubro de 2008, o candidato a vereador Williams Andrade Silva (PP), de 41 anos, conhecido como Frank Willian, foi executado na Praia da Enseada, após ser abordado por dois homens armados em uma moto. 

Em novembro de 2001, o vereador Ernesto Pereira (PTN), de 38 anos, foi morto com 12 tiros a uma quadra de sua casa, no Condomínio Terra de São José. Ele cumpria o seu segundo mandato como vereador, sendo o terceiro mais votado na eleição municipal. 

Em maio de 1997, o vereador Orlando Falcão foi morto a tiros em um bar.

Nenhum comentário: