Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

sábado, 30 de junho de 2012

"Grandes" shows no Guarujá são feitos para fazer propaganda do mau uso do dinheiro público.

"OS INTEGRANTES DA BANDA ADORARAM O PÚBLICO" OH! Meu Deus!!! Que vergonha de ser guarujaense e ver que mesmo sem pão o povo prestigia o circo e os palhaços que os proporcionam!!! Ainda bem que a banda adorou o público porque um público decente deve ter adorado mais essa demonstração pública de desrespeito com o dinheiro público.Espero sinceramente que as próximas matérias dos jornais e as instruções dos processos por omissão de socorros, de falta de atendimento médico etc. sejam instruídas com as fotos dos "grandes shows" que nivelam o povo do Guarujá por baixo. Parabéns para quem escreveu esse texto...você foi "demaisss!!!".

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Polícia prende acusado de crime de escravidão em Guarujá, SP


Homem que 'recrutava' jovens de 15 a 17 anos foi preso em flagrante. Adolescentes ficavam instalados em uma casa pequena e dormiam no chão.

G1/SE



Joseval dos Santos: Acusado de obrigar adolescentes de Itabaiana a realizarem trabalho análogo à escravidão em São Paulo (Foto:G1)
Um homem foi preso em flagrante em Guarujá, no litoral de São Paulo, acusado de obrigar vários adolescentes da região nordeste a realizarem trabalho análogo à escravidão. Cinco jovens eram mantidos em uma casa de dois cômodos e situação precária no bairro Morrinhos.

De acordo com o Conselho Tutelar de Vicente de Carvalho, no Guarujá, os jovens eram de Itabaiana, no Sergipe, e estavam sem documento de identidade. O suspeito teria viajado até o nordeste, onde fez contato com as famílias prometendo oferecer trabalho aos adolescentes, que não sabiam o que iriam fazer no Guarujá.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito pagava R$ 1 para que os adolescentes trabalhassem das 9h às 16h como ambulantes nas praias da cidade vendendo castanhas e sândalos. Os jovens, que têm entre 15 e 17 anos, foram retirados do nordeste sem autorização dos responsáveis.

Os jovens tinham direito a duas refeições por dia, de acordo com a polícia. “Eles eram obrigados a ficar o dia todo na rua e só retornar à noite. Ao retornarem, eram trancados na casa para que não pudessem sair. Eles dormiam no chão. Depois de alguns dias, eles mesmos acharam um colchão na rua e levaram para a casa para dormir nele”, disse o delegado Cláudio Rossi.

Jovens viviam em condições precárias em um imóvel no Guarujá, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

A investigação começou quando um grupo de policiais percebeu que os adolescentes estavam com frequencia nas ruas da cidade vendendo produtos. No final da tarde desta quarta-feira (27), os jovens foram até a delegacia denunciar a situação. Com todas as coordenadas em mãos, os policiais conseguiram prender o suspeito em flagrante. A polícia acredita que existam outros jovens nessa situação em outros locais da cidade.

“Alguns deles pretenderam voltar para a cidade natal, mas aí o empregador disse que eles tinham que pagar R$ 400,00, que era a despesa da viagem deles. Ou seja, está perfeitamente configurada a condição de escravos que eles estavam vivendo", diz o delegado.

O homem foi preso em flagrante e responderá criminalmente por reduzir os jovens a condição análoga à de escravos. Se condenado, o suspeito poderá pegar até oito anos de reclusão.

Os três adolescentes foram encaminhados pelo Conselho Tutelar à Casa de Acolhimento da cidade. E os dois jovens de 18 anos estão em um Albergue Noturno. O grupo deve ser encaminhado para Sergipe nos próximos dias. “A prefeitura de Guarujá vai transportar os meninos de volta e vai continuar com o acompanhamento psicológico”, disse o conselheiro tutelar Anderson Luiz Souza.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Boa prá caralho!!!


A avaliação positiva de algumas  administrações passa pela lembrança dos terríveis dias de desmandos e roubalheiras de ex prefeitos e à confusão entre o que poderia ter sido feito, o que deveria ter sido feito e o que foi feito.
 O que o povão não sabe, é que a receita do nosso município,  pode ter sido de algo entre dois e três bilhões de reais nos últimos anos.
Aliás, alguns dos defensores da atual administração nem sabem avaliar o que são bilhões de reais, colocam no bolso menos do que gostariam, mais do que valem e o suficiente para ficar com a boca fechada, se bem que alguns recebem para ficar com ela bem aberta, elogiando o que a história vai se encarregando de demonstrar que foi incompetência. 

O sopão distribuído para os indigentes.


Uma das grandes discussões hoje na internet, é a possibilidade da Prefeitura de São Paulo proibir a distribuição de sopa para a população de rua.
Indigesta refeição é ter de apoiar uma ou outra opinião.
Melhor seria não termos de optar por nenhuma delas e não existirem os problemas. Sem moradores de rua, sem sopão, sem problema.
Como isso não é possível mas, é possível  emitir a opinião, vamos lá.
O que motiva o indivíduo a estudar e preparar-se para a vida trabalhando, é a necessidade de obedecer às regras milenárias impostas pela sociedade.
Poucos abraçariam uma opção difícil, como cursar uma escola pública, uma faculdade pública, conduções lotadas para isso tudo, e mais a insegurança diuturna das ruas, se tudo o que precisam lhes fosse fornecido gratuitamente e sem qualquer dificuldade.
Longe de mim querer dizer que é fácil a vida dos indigentes, sem teto e sem família. Uma coisa é certa, se eles não tiveram muitas opções, tiveram o mesmo livre arbítrio que tantos outros que estudam a noite, trabalham doze horas por dia, se espremem nas conduções lotadas e são assaltados ao chegarem ou saírem das suas casas.
Um indigente ou um “guardador” de carros consegue com facilidade de R$ 20,00 a R$ 60,00 por dia mendigando ou extorquindo as pessoas na rua.
Isso significa de R$600,00 a R$ 1.800,00 por mês para ficar vagando pelas ruas e muitas vezes assaltando quem os protege.
Para mim isso é demais!

O voto consciente não é a escolha do menos ruim.


Ainda que seja o menor mal, a escolha da pessoa menos ruim é 
péssima.
Pode parecer um paradoxo, mas escolher o menos ruim entre os candidatos, seja para o legislativo seja para o executivo é coisa de gente comodista, pouco esclarecida e disposta a errar com a maioria.
Não há entre os que estão ou estiveram no poder executivo, exercendo ou tendo exercido o cargo de prefeito na nossa cidade, alguém que possa honrar o voto de quem vê claramente, que ninguém quer “prender o ladrão”, querem substituí-lo, para dar continuidade a administrações cheias de interesses pessoais e políticos, de grupos nacionais denominados partidos, que têm praticado a política nefasta dos mensalões, dos cabides de empregos, dos enriquecimentos ilícitos e especializado em enganar o povo, dando festas e shows superfaturados e negando educação e saúde de qualidade.
Não vote no menos ruim. Seu voto será interpretado como endosso das qualidades de quem não o merece.
Se você, como eu, não está satisfeito com essa administração nem esteve com as últimas, deixe isso claro votando em branco, anulando seu voto ou escolhendo um candidato que possa honrar o seu voto.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Resposta...

Sou dos que acham que o Farid Madi não é solução para nada. Ele faz parte dos problemas da nossa cidade, da nossa comunidade. Ele deixou a Administração bem pior do que a encontrou.
O blog dele que li hoje pela primeira vez, levado pela curiosidade pela sua postagem, traz um texto que por si só é a expressão de todos os seus atos. Um monte de palavras desconexas escritas por alguma caneta paga.
Já o seu texto, me causa mais pesar. Sua defesa é um ataque a ele, uma defesa fraca para a prefeita e pode sugerir uma “apelação” ao descrever o problema de outras pessoas, doentes ou não, que não pediram para fazer parte dessas ou de qualquer história política dessa nossa sofrida cidade.
Será mais triste ver pessoas como você entrando nesse jogo sujo do que aceitar toda a sujeira que já passou pela administração do Guarujá.
Se palavras como as do Farid ou as suas ganham ou perdem votos eu não sei. Certamente há muita gente que percebe que as coisas dificilmente irão mudar se quem faz parte da atual administração ou deseja fazer política honesta, continuem a usar desse tipo de texto desse tipo de pensamento e de golpes baixos para pessoas do mesmo nível.

domingo, 24 de junho de 2012

E-mail recebido pelo SOS Guarujá

Olá Marinho,
Guarujha PoPe (amigo de Alexandre Leite) comentou um status em que você foi marcado.
Guarujha escreveu:
“Infelizmente, quem não entra no “esquema” do Guarujá acaba morto”! A política virou um Câncer, aqui nesta cidade, até mesmo os bem intencionados, que você acredita que fará mudanças, que seriam um remédio, seguem ameaçados ou acabam corrompidos, seja pelo medo ou pela Ganância... e o que se fazer? uma vez que Juízes decretam e são acatados, MP investiga, mas não prende ninguém e, tudo fica por isso mesmo. Tenho medo até mesmo de manifestar minhas ideias, não por que devo, por que como já disse aqui, até mesmo quem não deve, tem que temer nesta cidade. Todos sambem de muitas verdades, e o que fazem com ela? temem pelo sua vida. Saber a verdade é virar arquivo... Antes arquivo vivo do que morto. Aqui quem sabe e se manifesta ou é opositor firme e não se deixa corromper, tem um final triste, como os cinco Políticos assassinados que não tiveram os casos resolvidos, Prezado Sr. Manoel e Sr. Mário Pacheco, sinceramente, não imagino, como os Srs. conseguem ser opositores e expressar as verdades, são os poucos que contrariam as estáticas, pois até apresentadores de programas, já saíram da Cidade, admiro vossa coragem, e parabenizo pelas manifestações de verdades que expõem. Muitos não entenderam ainda a grandiosidade que são testemunhas diariamente, uma cidade que só tem um Hospital há 50 Anos, Serviços que políticos iniciados por administrações anteriores como o Sr. Jaime Daige, que iniciou há aproximadamente 30 anos atrás foram destruídos ou inacabados. Alguém ai sabe onde foi parar as preciosas pedras que faziam um lindo calçadão nas praias e que até hoje o Rio de Janeiro as mantém ? O atalho que cruzaria a Puglisi Levando direto a Piaçaguera, que passar por trás do Guaibe, evitando assim congestionamentos no farol, As madeiras do calçadão ? onde foram ? quem matou pessoas políticas ? Aqui reina o Medo e a Corrupção, e não vi até hoje Globo, ou qualquer outro meio de comunicação, expressar fatos como os Srs. Por isso meus parabéns, e que isso não tenha que continuar acontecendo, no sentido que não seja necessário, porém sei que não ocorrerá, e que os Srs. Serão as vozes ferozes pela defesa da cidade. Mas não pense que sendo candidato iria mudar. Pois como o Parafraseado William Shakespeare Acima, “Há mais mistérios entre o céu e a terra, do que toda a nossa vã filosofia.” Quando adentrar nas portas da política do Guarujá, será recebido com as maiores honrarias e felicitações falsas que presenciaram em toda sua vida. É Grotesco o pensamento, mas assim é a verdade por aqui, Grotesca. Minhas Sinceras felicitações pelos atos de ambos, pena, que as palavras proferidas, não resultam em nada... pois todo o movimento valioso parece ser em vão, não se vê resultados, além de mostrar a verdade a um povo que não faz absolutamente nada, pois o próprio povo com suas raras exceções tem medo ou são corrompidos vendendo seu voto. Por favor, não entendam o desabafo como critica ou alguma forma negativa, pelo contrário. É somente o resultado da indignação de tudo que presenciamos. E que não lhes faltem animo para dar continuidade nesse importante serviço de informação verdadeira que prestam a cidade."

Milhares se evolvem em confusão generalizada em festa na Ilha das Palmas- Este editor pergunta:-Quem é o responsável pela fiscalização desses eventos na Ilha???

'Cena de Filme'


De A Tribuna On-line
Atualizado às 11h10
"Tinha tudo para ser perfeito. A união de uma ilha paradisíaca, localizada na entrada da Barra de Santos, com música boa, embalada por cinco dos melhores DJs do Brasil. Mas a falta de organização fez com que a noite não fosse agradável" . O relato é de um internauta que, assim como outras cerca de 4 mil pessoas, viram a festa temática Perfect Life se transformar em um pesadelo. Ele preferiu não se identificar, mas relatou para A Tribuna On-line o que presenciou. 

Imagens registradas por outros internautas também mostram os momentos de aflição do público no acesso às embarcações que os transportariam para a Ilha das Palmas. O  local, administrado pelo Clube de Pesca de Santos, foi sede da Perfect Life, atração itinerante do Club Sirena - especializado em música eletrônica.

A situação vivida por quem estava na Ponte dos Práticos (Edgar Perdigão), na Ponta da Praia, entre as 23 horas de sábado e às 3 horas (da madrugada) de domingo foi "desesperadora", conforme os relatos.

"Entre corre-corre, gritaria, pedido de socorro e pânico, foram inúmeras as que tiveram que ser atendidas por equipes de socorristas.", diz o internauta. 

No Facebook, muitos jovens mostraram indignação. Ale Costal disse "Maior falta de organização e consideração tanto com os convidados quanto com os moradores, promessas que não foram cumpridas, cade os 5 barcos que teria a disposição dos convidados? que caberiam em torno de 100 pessoas cada.... não vi nada alem de um barco com menos de 80 pessoas que foi e não voltou em menos de 1 hora. e as escunas que tínhamos que pular pois não conseguia atracar... ABSURDO!"

Fabiana Kamel também relatou a decepção na rede social.  "Totalmente absurdo!!!  70% das pessoas nao entraram... Total falta de respeito e organização. Vendem mais convites que o permitido. Tinha três barcos para três mil pessoas. Fora que a galera ficou até três da manhã para cancelarem a entrada no evento!!!!"

Outros exigem o dinheiro de volta, como é o caso de Quezia Machado. "Só quero meu dinheiro ,nem vou falar de organização porque nem teve organização! Tremenda falta de respeito,até na fila estava uma porcaria,todo mundo furando e empurrando...Baixaria total! Vendem ingresso como água e a gente fica no prejuízo! "

Resposta 

Paulo Ruas, responsável pelo marketing da GCF Entreteniment, parceira do Sirena e da Perfect Life, alegou  que a organização estruturou a festa para cerca de 2 mil pessoas. No entanto, segundo ele, a venda de ingressos falsos teria levado centenas de pessoas a mais ao local. A organização teria demorado para perceber o ocorrido e, quando descobriu, bloqueou a entrada.  Quanto à restituição do ingresso, Paulo afirma que a empresa ainda estuda o que será feito.

Créditos: Foto-leitor
Pânico: após destruição de barreira montada pelos seguranças, público invadiu a Ponte dos Práticos

Seguranças insuficientes

De acordo com internauta, milhares de pessoas se espremiam entre as grades e vidros de proteção do embarcadouro. "A Polícia Militar foi acionada, mas, mesmo assim não conseguiu evitar que a desordem tomasse conta do local."  Ele ainda reforça que  o número de seguranças disponibilizados pela organização do evento não era suficiente. 

"Muito do que ocorreu, segundo apurado,  foi em razão da longa demora para a travessia, que, em média, deve durar 30 minutos, já contando com o tempo de embarque".

De acordo com a declaração,  quem chegou à meia-noite, conseguiu espaço em um dos barcos disponibilizados pela festa apenas duas horas e meia depois. 

O internauta mencionado no início do texto conta que a confusão maior  ocorreu "quando aproximadamente 20 jovens conseguiram quebrar todo o aparado montado na ponte para chegar ao atracadouro". Ele ainda diz que a multidão que vinha atrás seguiu o fluxo de forma amedrontadora, prensando pessoas contra as paredes e a beira do mar.

Créditos: Foto-leitor
Imagem mostra estrutura erguida pela Polícia. 15 minutos após liberada, multidão destruiu as gradas

Em razão da confusão, as escunas e catraias que faziam o transporte dos convidados tiveram que parar o embarque e desembarque das pessoas por aproximadamente 30 minutos.

Ainda segundo o internauta, o reforço da Polícia Militar (Rocam e Força Tática) foi acionado e controlou temporariamente os ânimos exaltados. "Mas, não durou muito: o gradeado de isolamento reorganizado pelos soldados foi destruído por outro grupo de jovens que se mostraram insatisfeitos com a posição tomada pela equipe no local." 

Moradores

As pessoas que moram na Pouca Farinha, do outro lado do Canal do Porto, em Guarujá, tiveram problemas. Muitos trabalhadores, que voltavam para casa ao fim do expediente, esperaram horas para conseguir entrar no atracadouro, que precisou ser isolado pelos policiais, com o intuito de evitar algum acidente maior. 

A Tribuna On-line entrevistou Larissa dos Santos, moradora de Santa Cruz dos Navegantes. Ela conta que teve que sair para levar a filha ao médico e ficou cerca de quatro horas na ponte Edgar Pergigão, para tentar voltar para casa. 

"Eu fui para Santos com a minha filha, que estava com dor de ouvido. No retorno, fui para a ponte Edgar Perdigão. Isso era por volta de 10 horas da noite. Quando chegamos à ponte, havia muita gente bêbada e confusão. Eu pedi ajuda aos policiais para conseguir passar de volta, e eles tentaram me ajudar. Só que era muita confusão. Fiquei até às 2 horas com a criança no frio. Um adolescente bateu na cabeça dela na confusão e hoje ela está pior. Quero que paguem médico para ela. Não conseguimos entrar na nossa casa por causa de balada".

Créditos: Foto-leitor
Embarcações saíam do atracadouro com superlotação. Passageiros ficam pendurados do lado de fora

A festa

"Perfect Life Sirena Tour inova realizando a primeira festa de música eletrônica em uma ilha particular no estado de São Paulo". Foi dessa forma que os organizadores atraíram o público para participar do grande evento, que só agradou àqueles que conseguiram chegar à ilha. 

Mesmo lá, mais e mais filas: em um espaço aberto onde eram esperadas 4 mil pessoas, faltava lugar devido à superlotação. Informação obtida pela reportagem de A Tribuna On-line indica que ao menos outras mil pessoas não foram autorizadas a atravessar o canal para participar do evento.

Cada pessoa teve que desembolsar entre R$ 50,00 e R$ 150,00 para garantir um ingresso que permitiria a entrada à festa.

Entre os profissionais contratados, também muita insatisfação. Em meio à confusão, seguranças brigavam entre si, acusando um ao outro pela incapacidade de organizar as milhares de pessoas. "Estou vivendo o pior dia da minha vida. Ganhei R$ 100,00 para enfrentar isso tudo", disse uma atendente de caixa, que ficou inconformada com a falta de segurança e logística oferecida pela organização.

A situação só foi controlada por volta das 4 horas deste domingo, quando a polícia não permitiu mais o acesso à ilha. Uma hora depois, a volta para a casa foi a única alternativa encontrada para aqueles que conseguiram ou não aproveitar o investimento feito.

Créditos: Foto-leitor
Polícia foi acionada, mas não conseguiu controlar de imediato a situação: houve novamente briga e corre-corre

Quem não tem passado não terá futuro.


Virtuosos tardios são aves raras.
Quase sempre os grandes talentos e os vencedores aparecem nos tenros anos como crianças precoces, jovens formadores de opinião, adultos empreendedores e velhos surpreendentemente ativos e profícuos.
Analisar o currículo de qualquer pessoa é fundamental para uma boa escolha.
A ficha suja não é o único sinalizador de que o indivíduo não serve para administrar o seu dinheiro que está em mãos públicas.
Também não se fie na opinião de qualquer ignorante.
O voto consciente continua a prejudicar menos do que o dos ignorantes. São eles que dependem mais do poder público, são eles que sofrem mais com as péssimas escolhas.
Os filhos serão o que os pais querem que eles sejam e as administrações serão retrato da sua falta de participação nos rumos políticos da comunidade.
Vamos acabar com os políticos corruptos. Não vote nos ladrões conhecidos. Vote no novo para o bem do povo!

sábado, 23 de junho de 2012

Já que você não consegue ser o voto do povo, seja o voto do novo.



A vida tem dessas coisas, já dizia Sheakspeare, to be or not to be, essa é a questão.
A sociedade se divide entre os que sabem que os políticos são, na quase totalidade corruptos e os que aceitam os ladrões que roubam, mas fazem.
Aqui no Guarujá eu não diria que a maioria dos políticos são ladrões. Eu diria que todos eles são, se não corresse o risco de ser processado.
Mas como para bom entendedor poucas palavras bastam, a gente tem que concordar com as sabias palavras repetidas por alguns:- Vocês querem mais daquilo que já se provou não presta? Isso posto, nada de ficar pensando em votar no menos ruim. O voto precisa ser claro, se você vota no menos ruim ele ou ela, saem por aí falando que a maioria (o) apoia.
Se você não consegue eleger gente que presta para administrar a cidade, isso é culpa desses políticos ladrões e corruptos que desviam o dinheiro da educação para fazer shows pirotécnicos para pobres e piromaníacos.
Não sou contra os pobres, sou contra a pobreza. Contra os pobres é quem fica fazendo festa para encobrir as deficiências do serviço público mal prestado.
Então é isso. Nada de votar no (a) menos ruim. Não dê seu voto para quem já provou que não consegue administrar nem legislar pela cidade.
Faz mais de vinte anos que estão destruindo o Guarujá. Colocar qualquer um que por aí já esteve, em qualquer cargo é jogar seu voto fora.
Já que você não consegue ser o voto do povo, seja o voto do novo.
Eu recomendo Manoel Vergara para Vereador. Ele pode vir a provar que é corrupto e incompetente, mas os outros nós já sabemos, são incompetentes e na sua grande maioria, ladrões do dinheiro público e dos ideais dos indivíduos. Eles ajudaram a deixar o Guarujá como está.
Não faça como a Prefeitura Municipal do Guarujá, não troque seu voto um show sem qualidade, troque de político, pela esperança de melhores dias. 

sexta-feira, 22 de junho de 2012

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Processo questiona locação de imóvel

Vicente de Carvalho

l

Simone Queirós
Avenida Santos Dumont, loja 1, nº 310, Pae Cará, Vicente de Carvalho. Neste endereço, onde hoje funciona uma autoescola, desde novembro do ano passado deveria haver uma Farmácia Popular.

Foi com esta finalidade que o contrato nº 6/2011, publicado no Diário Oficial em 18 de novembro último, foi firmado entre a Administração Municipal e o casal Ali Mohamad Khalil e Leila Abdul Latif Khalil. A Prefeitura de Guarujá aluga o imóvel por R$ 9.780,00 mensais.

Passados sete meses, R$ 48.900,00 já foram pagos pelo governo, enquanto o local permanece intacto. Já na loja 2, que fica ao lado da autoescola, há um espaço em construção. É neste estabelecimento, segundo a Prefeitura e o proprietário do imóvel, Ali Khalil, que funcionará o serviço municipal ligado à saúde. O local ainda não está identificado.
Créditos: Rogério Soares
Na Avenida Santos Dumont, loja 1, no 310, deveria funcionar a Farmácia Popular, e não a autoescola
Porém, como no edital o endereço está especificado como loja 1 e todo este tempo passou sem que nenhuma farmácia fosse construída pela Prefeitura, o assunto foi alvo de uma ação popular. Na semana passada, o juiz Gustavo Gonçalves Alvarez, da 3ª Vara Cível de Guarujá, concedeu liminar (decisão antecipada e provisória) suspendendo os efeitos do contrato de locação.

A liminar foi resultado de uma ação proposta por Paulo César Clemente (autor de diversas ações contra a Administração Municipal), que é ex-diretor de Trânsito na gestão do ex-prefeito Farid Madi.

“A Prefeitura, aparentemente, simplesmente alugou um imóvel que já estava alugado para uma empresa privada. E ainda, por ironia, para uma farmácia popular. Inexiste farmácia alguma funcionando no local e nem há lugar para funcionar”, aponta Clemente na ação.

Reação

A esse respeito, Ali Khalil afirma estar no meio de uma guerra política. “Tenho contrato com a Prefeitura, não sou prefeito. Se eles não abriram, a instalação está feita. Que culpa eu tenho?”

Segundo Khalil, antigamente aquele espaço todo era o número 310. No registro da autoescola na Junta Comercial do Estado, por exemplo, consta apenas este número, sem o complemento da loja 1. “A autoescola já está comigo há oito anos no mesmo endereço”, afirma o empresário.

Há outros cinco estabelecimentos no local. “Foi feita a planta e cada loja hoje tem o seu cadastro, número e alvará. Se você tem imóveis para alugar, chega a prefeita e quer alugar, não vou alugar por quê?”

Khalil afirma que chegou a questionar o Governo sobre a demora na instalação da Farmácia Popular. “Mas está tudo montado e agora é chegar os remédios. É o Governo Federal que vai fornecer”.

Palhaços e palhaçadas

A tentativa de desacreditar quem denuncia, é própria dos denunciados, averiguados e criminosos.
Tenho visto a insistência de fantoches da administração tentando desacreditar a oportunidade de uma ação que visa preservar o dinheiro do povo impedindo que palhaçadas e shows de quinta categoria sejam pagos como se fossem linimento para a falta de saúde e de educação com qualidade, para esse mesmo povo que espera pão e circo, não recebe o pão e do circo só fica com as palhaçadas.
Usando de artifício antigo de que artistas repito, de quinta categoria possam ter representantes detentores de exclusividade, a administração paga muito mais do que vale o show e alguééémmmm embolsa a diferença.
Essa enganação tem vida curta, uma vez que com o advento da informática os valores pagos e declarados  serão monitorados pelo poder judiciário. Assim, cedo ou tarde vai se ficar sabendo quem ganhou e quanto.
Diriam alguns, aí será tarde!
E eu digo, o importante é que cedo ou tarde a gente vai confirmar quem é o mocinho e o bandido, quem roubou, quem foi roubado e quem ficou com o produto do roubo.
 E esses palhaços que ficam defendendo o indefensável, tentando jogar o povão contra quem denuncia, vão ficar como tantos que nós conhecemos, com a bucha e a indelével marca de pelegos do poder.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Liminar suspende shows em festejos juninos em Guarujá


Simone Queirós
Os shows dos festejos juninos, que começaram no último final de semana, estão temporariamente proibidos em Guarujá. O juiz Gustavo Gonçalves Alvarez, da 3ª Vara Cível, concedeu liminar suspendendo o contrato entre a Prefeitura e a empresa Styllu’s Card Comunicações Ltda.

A empresa foi contratada para intermediar shows de atrações como Art Popular, Nuance, Inimigos do HP, Sampa Crew, Latitude 10, Rodriguinho, Restart, Pixote, Felipe Strepava, Ricardinho e Algo Mais. Segundo a Prefeitura, a Styllu’s teria o direito de exclusividade sobre os artistas.

A negociação dos shows, entretanto, foi questionada por Paulo César Clemente, ex-diretor de Trânsito na gestão do ex-prefeito Farid Madi. Ele moveu ação popular pedindo a interrupção do contrato.

Clemente questiona o fato de o governo não ter feito licitação para a contratação. Em 2011, ação similar feita por ele pelo mesmo motivo provocou a suspensão do contrato firmado entre a Administração Municipal e uma rádio local. Em seguida, o Ministério Público Estadual (MPE) também ajuizou ação civil pública por causa desta contratação.

Desta vez, a Promotoria também deu parecer favorável à ação popular. No documento, a promotora Roberta Bená aponta que dentre os principais produtos fornecidos pela empresa estão relógios de ponto. No site da Styllu’s é possível comprovar a informação.

Além disso, segundo o parecer, o CNPJ da empresa não consta no Diário Oficial nem na Junta Comercial do Estado de São Paulo. “Trata-se nitidamente de exclusividade fabricada”, afirma a promotora no documento.

Maurício Coimbra, promotor de eventos da Styllu’s, diz que não foi notificado. “Só quando eu tiver acesso ao teor do processo é que poderei saber ao certo o que está acontecendo. Estou sabendo disso agora, por você”. Entretanto, ele refutou as acusações de que sua empresa, que existe desde o ano passado, não tenha porte para atender a esses shows. “Tenho cartas de exclusividade com esses artistas”. A sede da Styllu’s fica em um sobrado geminado no final da Rua Uruguay, na Enseada.

Prefeitura

A Prefeitura informa que ainda não foi notificada, mas tem conhecimento da liminar e vai recorrer. Porém, ressalta que, conforme decisão reiterada do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP), todo profissional do setor artístico consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública é representado por um escritório que detém o nome do artista ou controla simplesmente sua agenda de shows.

Ainda de acordo com a mesma decisão, para que o artista tenha seus compromissos nos mais diversos Estados do País, faz-se necessário um representante em cada região. Por este motivo, quando a Prefeitura procurou os artistas para os Festejos Juninos 2012 foi informada de que os direitos de representação para essas datas pertenciam à empresa Styllu’s Card Comunicações Ltda.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Ambulante? Fábrica de salgados e doces? Veja a ameaça de Mario Lopes nos comentários já identificado e observado...

Ambulante? Fábrica de salgados e doces?


Clique na foto para ampliar

Não dá para entender a fiscalização do Guarujá.
Como pode permitir que um carrinho desse tamanho fique estacionado na calçada de uma avenida como a Pugliese no centro do Guarujá e ao lado de um ponto de ônibus e da delegacia da cidade? Como se não bastasse,estende uma faixa de mais de dois metros quadrados oferecendo doces e salgados sem fiscalização sanitária. Depois não querem que nós cidadãos reclamemos e coloquemos na internet a avacalhação que está a cidade. Estamos nivelando a cidade por baixo e nunca mais seremos a Pérola do Atlântico.
E tem mais...acabei de receber a denúncia de que esse "ambulante" tem um carrinho idêntico próximo da rodoviária do Guarujá. 
Quem puder fotografe e envie a foto para publicarmos.



"Ambulante? Fábrica de salgados e doces?"

3 Comentários - Mostrar postagem originalRecolher comentários


Blogger ivanluis.santos disse...
cara voce poderia procurar oque fazer em ves de ficar cuidando dos vendedores ambulantes pois fique voce sabendo que tem fiscalisa;ao sim e da vigilancia sanitaria tambem seu mao informado tenho certeza que esse carrinho e mais limpo do que a sua casa. a e voce ta ganhado o que com isso seu ivejoso
15 de março de 2011 02:30
Anônimo Anônimo disse...
Marinho, precisa cobrar do Sr. Adilson Cabral as renovações de licenças sejam revistas, pois sem critério as mesmas continuam sendo renovadas desde que se paguem as taxas e os fiscais depois nada podem fazer, o que precisa é não renovar essas licenças onde os requisitos e a Lei não está sendo cumprida.
15 de março de 2011 08:28
Blogger Luiz Evandro disse...
ÔÔÔ sr. "invaluis.santos", que nao mostra a cara e nem de onde veio, vou te falar uma coisa: se nos fossemos parecidos com o MARIO, Guarujá não teria ambulantes burlando a Lei, tornando a cidade mais suja, mais imunda. MÁRIO, parabens e continue assim "IVEJOSO", HA, HA ha ha ha; viu Mário, voce tem inveja, digo, iveja de ambulante ???!!! incrível ...
15 de março de 2011 09:28

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Som alto em academias comprometem audição

 Nayara Araújo  / Especial para A Gazeta


Estima-se que 300 milhões de pessoas sofram algum tipo de perda auditiva e muita gente se expõe a excessos que comprometem a audição. É comum ver entre pessoas que malham, a associação entre exercício físico e música alta. Entretanto, muitos desconhecem o perigo que uma academia de ginástica pode oferecer à saúde dos ouvidos.
Segundo Alexandre Morais, personal trainer da academia Círculo, muitas vezes são os próprios clientes que pedem música mais alta. "Certo dia houve uma disputa entre a música e o som da tevê. Muitos querem ouvir as duas coisas ao mesmo tempo", conta.
Muitas pessoas que frequentam academias de ginástica já estão habituadas à barulhos acima do nível seguro para a audição humana, que não pode passar de 85 decibéis.
Em contrapartida, existem academias preocupadas com as conseqüências do barulho em excesso e só autorizam som ambiente no local, permitindo que as pessoas se socializem e protegendo os ouvidos de danos severos.
A fonoaudióloga Vanessa Moraes explica que a exposição a um ruído acima de 85 decibéis não provoca a surdez, mas pode atraí-la. "O que acontece é um agravante para uma perda que todos nós vamos sofrer. Surdos todos vamos ficar, mas a diferença é como e quando isso vai acontecer. O problema não é ouvir o seu MP4, o importante é o volume que você coloca. O meu fica sempre no sete, que é o suficiente", ressalta a fonoaudióloga, lembrando que os aparelhos eletrônicos também oferecem risco a nossa audição.
Uma música alta em um simples MP4 provoca conseqüências nefastas à saúde. Um estudo realizado por Vanessa comprova que a exposição a um ruído abaixo de 56 decibéis resulta em conseqüências pouco significativas para o ser humano. Já em uma amostra realizada com 100 pacientes submetidos a uma intensidade de 85 decibéis, todos já conseguiam sentir em minutos o seu efeito perturbador. Na maioria dos casos a queixa foi de uma surdez temporária acompanhada de um zumbido estridente. Tal sintoma, segundo Vanessa, não passa de uma defesa dos músculos do ouvido que, ao se contraírem, provocam essa dor incômoda. O sintoma é comum quando saímos de uma boate ou de um show. O ruído nesses ambientes pode chegar até 125 decibéis.
O excesso de ruído, além de afetar a audição, pode causar danos no cérebro e no sistema nervoso.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Agente da Fundação Casa é assassinado a tiros em Guarujá


Eduardo Velozo Fuccia
Agente de apoio socioeducativo da Fundação Casa, em Guarujá, Josiel Souza Ferreira, de 30 anos, foi assassinado com dois tiros na cabeça e um no braço direito, por volta das 23 horas de quarta-feira, em Vicente de Carvalho. Segundo a sua família, ele era evangélico e retornava de um culto.

Execução sumária, relacionada ou não com o cargo da vítima, e tentativa de roubo são hipóteses investigadas pela Polícia Civil. No momento do crime, o agente da Fundação Casa pilotava uma Honda CBX 250 Twister, modelo de moto bastante cobiçado pelos ladrões.

O assassinato ocorreu na Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, no Jardim Boa Esperança. Acionados por meio de um telefonema anônimo ao número 190, do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), patrulheiros se depararam com Josiel já sem vida.

O corpo do agente estava caído ao lado da Twister. Josiel usava um capacete e outro equipamento de segurança do gênero se encontrava preso à moto, que aparentemente estava intacta e foi entregue a uma irmã do funcionário da Fundação Casa.

A delegada Juliana Buck Gianini estava de plantão na Delegacia de Guarujá e compareceu ao local do crime com a sua equipe e peritos. Três cápsulas deflagradas de pistola calibre 380 foram arrecadadas perto do corpo e poderão ser úteis no esclarecimento do caso.

Testemunhas não foram localizadas durante o atendimento da ocorrência, mas investigações são realizadas para identificar quem eventualmente tenha presenciado a morte de Josiel. Policiais da Delegacia e do 1º DP de Guarujá apuram o homicídio. 

Casado e com uma filha de 4 anos, o agente de apoio socioeducativo residia na periferia de Guarujá e será sepultado hoje, às 10 horas, no Cemitério da Vila Júlia. A sua mãe viajava à Paraíba e, após ser avisada sobre o crime, retornou ontem de avião a São Paulo para acompanhar o velório e o enterro.