Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Polícia prende acusado de crime de escravidão em Guarujá, SP


Homem que 'recrutava' jovens de 15 a 17 anos foi preso em flagrante. Adolescentes ficavam instalados em uma casa pequena e dormiam no chão.

G1/SE



Joseval dos Santos: Acusado de obrigar adolescentes de Itabaiana a realizarem trabalho análogo à escravidão em São Paulo (Foto:G1)
Um homem foi preso em flagrante em Guarujá, no litoral de São Paulo, acusado de obrigar vários adolescentes da região nordeste a realizarem trabalho análogo à escravidão. Cinco jovens eram mantidos em uma casa de dois cômodos e situação precária no bairro Morrinhos.

De acordo com o Conselho Tutelar de Vicente de Carvalho, no Guarujá, os jovens eram de Itabaiana, no Sergipe, e estavam sem documento de identidade. O suspeito teria viajado até o nordeste, onde fez contato com as famílias prometendo oferecer trabalho aos adolescentes, que não sabiam o que iriam fazer no Guarujá.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito pagava R$ 1 para que os adolescentes trabalhassem das 9h às 16h como ambulantes nas praias da cidade vendendo castanhas e sândalos. Os jovens, que têm entre 15 e 17 anos, foram retirados do nordeste sem autorização dos responsáveis.

Os jovens tinham direito a duas refeições por dia, de acordo com a polícia. “Eles eram obrigados a ficar o dia todo na rua e só retornar à noite. Ao retornarem, eram trancados na casa para que não pudessem sair. Eles dormiam no chão. Depois de alguns dias, eles mesmos acharam um colchão na rua e levaram para a casa para dormir nele”, disse o delegado Cláudio Rossi.

Jovens viviam em condições precárias em um imóvel no Guarujá, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

A investigação começou quando um grupo de policiais percebeu que os adolescentes estavam com frequencia nas ruas da cidade vendendo produtos. No final da tarde desta quarta-feira (27), os jovens foram até a delegacia denunciar a situação. Com todas as coordenadas em mãos, os policiais conseguiram prender o suspeito em flagrante. A polícia acredita que existam outros jovens nessa situação em outros locais da cidade.

“Alguns deles pretenderam voltar para a cidade natal, mas aí o empregador disse que eles tinham que pagar R$ 400,00, que era a despesa da viagem deles. Ou seja, está perfeitamente configurada a condição de escravos que eles estavam vivendo", diz o delegado.

O homem foi preso em flagrante e responderá criminalmente por reduzir os jovens a condição análoga à de escravos. Se condenado, o suspeito poderá pegar até oito anos de reclusão.

Os três adolescentes foram encaminhados pelo Conselho Tutelar à Casa de Acolhimento da cidade. E os dois jovens de 18 anos estão em um Albergue Noturno. O grupo deve ser encaminhado para Sergipe nos próximos dias. “A prefeitura de Guarujá vai transportar os meninos de volta e vai continuar com o acompanhamento psicológico”, disse o conselheiro tutelar Anderson Luiz Souza.

Nenhum comentário: