Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

terça-feira, 30 de abril de 2013

Quando a imprensa é venal, a matéria é tendenciosa, a opinião é mentirosa e o apoio é imoral.


Nas grandes corporações da imprensa, existem divisões de tarefas. As redações e os departamentos comerciais devem ser bastante diferenciados, distantes até.
Algumas das maiores têm até um ombudsman que teoricamente tem o dever de criticar, duramente se necessário, deslizes que possam contaminar as notícias por conta do suporte que o patrocínio dá com os anúncios à receita subsidiária dos veículos de imprensa.
Vira e meche a população se revolta com o excesso de notícias que uma ou outra rede dá às mazelas das suas concorrentes.
A guerra santa que as emissoras dos bispos, bispas e milagreiros travam com outras parecem Guerras Santas e as outras revidam como se fora a Inquisição.  
No caso dos jornais e revistas, as vendas despencaram de tal maneira depois do advento da internet, que em alguns casos o desprezível resultado mal paga a distribuição e o retorno do encalhe.
Por enquanto os anúncios estão pagando a conta e esse é um assunto tão longo e difícil que nem os envolvidos sabem como resolver.
Meu intuito é levar à consideração de leitores atenciosos qual o peso da opinião de certas publicações gratuitas que elogiam ou batem forte em quem não paga e elogiam quem  paga anúncios.
O que tem se visto ultimamente é uma vergonhosa chantagem onde cada um bate nas autoridades com a força que acha que tem e quem apanha paga quanto e como acha que vale o silencio desses “veículos de imprensa” que nada mais são do que estelionatos.
Em alguns desses “veículos” o editor é o caixa e o caixa é quem faz a pauta.

Não são todos, mas a gente sabe quem e quais são.

Força-tarefa de Guarujá traça estratégias para maio. Os órgãos traçaram estratégias de fiscalização para coibir eventos irregulares, perturbação de sossego, danos ambientais, comércios irregulares, ambientes que favoreçam a criminalidade, estabelecimentos que vendam bebida alcoólica a menores, fiscalização de trânsito próximo às escolas e ocorrências sociais.



 
A reunião aconteceu na última quarta-feira (24) no Paço Municipal Moacyr dos Santos Filho
 
A Força-tarefa de Guarujá se reuniu na última semana para discutir ações de segurança pública e fiscalizações. A equipe é composta pelas Secretarias de Defesa e Convivência Social, Finanças, Desenvolvimento e Assistência Social, Saúde e as Polícias Civil, Militar e Ministério Público.
 

A Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e órgãos de fiscalização da Administração atuarão também em comércios com som abusivo e ocupação de áreas públicas com cadeiras e mesas. As reuniões acontecem toda última quarta-feira de cada mês.
 
Denúncias – Os munícipes que presenciarem alguma irregularidade ou alguma situação abusiva podem denunciar esse tipo de ação pelo telefone do Centro Integrado de Operações (CIOPS) 153. O serviço funciona 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana e feriados.
 

PREFEITURA DE GUARUJÁ – Assessoria de Imagem e Comunicação Pública - Tel.: (13) 3308-7470
Jornalista responsável: Karina Praça (MTb.: 43.955) – Redator Universitário: Rafe Aguiar
30 de abril de 2013
Def. Convivência Social – Força-tarefa de Guarujá traça estratégias para maio
e-mail: imprensa@guaruja.sp.gov.br

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Secretarias definem ações acerca da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 Há pouco mais de um ano para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, Guarujá se prepara para receber, e bem, uma delegação estrangeira



 
A Prefeitura de Guarujá — município candidato a Cidade-Base da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 e que já recebeu a visita de delegações de oito países da América do Norte, Europa e Ásia —, por meio do Núcleo de Projetos Especiais, reuniu na última quinta-feira (25), no Paço Municipal Moacir dos Santos Filho, representantes das secretarias municipais com a finalidade de aprimorar o fluxograma de ações necessárias para que Guarujá se torne cidade-base de uma delegação estrangeira durante o megaevento esportivo no país.
 
O título cidade-base faz referência à hospedagem de jogadores e comissão técnica de determinada seleção internacional na cidade, durante o período dos jogos, além da utilização de centro de treinamento local para a preparação da equipe e disputa das partidas.
 
A expectativa é grande e os preparativos inúmeros. Por isso, o Núcleo de Projetos Especiais, responsável pelo planejamento e organização das ações, convocou as secretarias da Defesa e Convivência Social; Administração; Coordenação Governamental; Cultura; Desenvolvimento e Assistência Social; Desenvolvimento Econômico e Portuário; Educação; Esporte e Lazer; Finanças; Infraestrutura e Obras; Meio Ambiente; Saúde; e Turismo, para que, juntas, atuem nas diversas ações e brevemente.
 
Entre as ações propostas, pode-se destacar articulação com empresários e autoridades públicas municipais, estaduais e federais; instalação de placas de sinalização turística bilíngue em todo o município; reorganização dos serviços de saúde para atendimento aos turistas estrangeiros; transformação do Estádio Municipal Antônio Fernandes em um Centro de Treinamento de Seleções (CTS); acessibilidade; ornamentação dos espaços públicos e privados; criação de eventos culturais, esportivos e turísticos temáticos; desenvolvimento de guias e outros materiais informativos com indicações a respeitos dos atrativos locais, meios de hospedagem, hotéis e outros; educação profissional e capacitação; certificação dos meios de hospedagem; etc.
 
Segundo a secretária-adjunta de Turismo e Coordenadora do Núcleo de Projetos Especiais — departamento também responsável pelas demandas em torno dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, Projeto Orla e Comissão de Eventos —, Maria Eunice R. Leão Grötzinger, garantir que Guarujá seja uma cidade-base para seleção durante a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 terá efeito imediato na maioria dos setores da economia municipal, gerando emprego e renda. “Além disso, toda a infraestrutura que se estabelecerá em Guarujá servirá à criação de oportunidades de fomento ao turismo sustentável, deixando um legado pós-evento virtuoso, fato ampliado pela exposição do município na mídia internacional”, finaliza.
 
Guarujá, a Ilha do Dragão - A cidade de Guarujá é conhecida como a Ilha do Dragão por causa do seu formato geográfico, que lembra as lendárias criaturas. E, assim como na mitologia chinesa a figura alada protege tesouros, o município cultiva atrativos culturais, históricos e naturais que encantam milhões de turistas todos os anos, tal como a Praia do Tombo, que ostenta a certificação ambiental internacional Bandeira Azul. Guarujá, que tem pouco mais de 290 mil habitantes (IBGE 2010) e área de 142,882 km2, foi emancipada há 78 anos e conta com nove mil leitos distribuídos em resorts, hotéis, flats e pousadas - muitos de categoria internacional - e vasta e qualificada oferta gastronômica. O município, cuja temperatura média é de 38 graus C no verão e 10 graus C no inverno, localiza-se há cerca de 80 km da Capital de São Paulo e pode ser acessado por modernas rodovias, marinas e heliportos.
 


PREFEITURA DE GUARUJÁ – Assessoria de Imagem e Comunicação Pública - Tel.: (13) 3308-7470
Jornalista responsável: Karina Praça (MTb.: 43.955) 
29 de abril de 2013 – Copa do Mundo - Secretarias definem ações acerca da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014
e-mail: imprensa@guaruja.sp.gov.br

domingo, 28 de abril de 2013

Mansões 'pé na areia' vão perder espaço na orla de Guarujá Prefeitura irá reaver espaços públicos na praia de Pernambuco para transformá-los em calçadão


Proprietários fizeram piscinas e quiosque nos terrenos; projeto prevê ciclovia e rampas de acessibilidade no local
NATÁLIA CANCIANENVIADA ESPECIAL A GUARUJÁ
Mansões em frente ao mar na praia de Pernambuco, área nobre de Guarujá, litoral de São Paulo, terão que recuar seus muros em 24 metros e "devolver" jardins e áreas de lazer ao público.
A intenção é da prefeitura, que acaba de apresentar projeto à União para revitalizar as praias e recuperar as áreas.
Ao todo, 27 imóveis de alto padrão devem ser atingidos pela medida --o que representa grande parte das casas da praia de Pernambuco.
Sem fiscalização, a prefeitura diz que esses proprietários "fecharam" uma faixa de área verde em frente ao mar --registrada como pública-- com cercas e muros altos, formando jardins particulares.
Muitos também utilizaram essas áreas extras para instalar bangalôs, tendas e piscinas em meio aos coqueiros.
Agora, a prefeitura de Guarujá quer retirar os muros das mansões, recuperar a área em volta e transformá-la em um calçadão com jardim público, ciclovia e rampas de acessibilidade.
A proposta da prefeitura tem o apoio da União. Ambos assinaram um TAC (termo de ajustamento de conduta) para efetuar mudanças na orla.
A Secretaria de Patrimônio da União diz que esse acordo "não só prevê como determina a desocupação das áreas ocupadas irregularmente".
"Agradecemos [aos proprietários] por terem colocado os muros. Preservaram até a área de uma outra invasão. Mas agora muito obrigado, coloquem o muro no lugar, no limite de suas propriedades", diz o diretor da Secretaria de Planejamento do município, Marco Damin.
De acordo com a prefeitura, a área a ser devolvida pelos proprietários compreende cerca de 25 mil metros quadrados --ficam fora da lista o hotel Sofitel Jequitimar e outras casas, que, segundo a prefeitura, fazem parte de outro loteamento.
INVASÃO COM CRITÉRIO
O secretário de Planejamento afirma que a maioria das casas manteve o recuo.
"Aquela área não foi invadida [por construções] por motivos de sobrevivência. Foi uma ocupação que ocorreu com certo critério. Com certeza não construíram muito porque sabiam que a área não era deles", afirma. "É um bem público", completa.
Proprietários dos imóveis ouvidos pela Folha sob condição de anonimato declaram que instalaram quiosques e piscinas no local.
A maioria também admite que a área pertence à União, mas nenhum soube explicar como foi incorporada aos imóveis da orla.
Um funcionário de uma das casas diz que "se quiserem tomar mesmo 24 metros, vão ter que cortar a piscina no meio". Outros frequentadores dizem concordar com o projeto, mas não acreditam que ele saia do papel (leia mais ao lado).
De acordo com a Secretaria de Patrimônio da União, essa área foi ocupada de forma irregular, mas afirma que só deve analisar o projeto quando a prefeitura apresentar um plano de gestão integrada da orla, outra exigência do acordo.
A presidente do projeto Orla, Maria Eunice Grotzinger, diz que o plano deve ser apresentado ainda neste mês.

sábado, 27 de abril de 2013

Certamente não foi isso que a prefeitura autorizou, é isso que a fiscalização não vê$$$$. É isso que enfeia a nossa praia. Não é isso que nós queremos e não é isso que resolve o problema do ambulante. Isso é uma conjunção de malandragens que prejudica a todos e principalmente à imagem do Guarujá. Sábado 27/04/2013


A escolha pelo padrão e o IPTU ladrão.


Alguém em algum tempo e lugar fez uma classificação social com os níveis A, B, C, D e podem haver outras, levando em consideração algum padrão.
Quero crer que foi pelo consumo, pelos bens e produtos que o indivíduo possui e pode adquirir.
Nós escolhemos os lugares que vamos frequentar levando em consideração alguns fatores como preço, qualidade, tipo de frequentadores enfim, pelo grau de satisfação que a coisa ou lugar nos proporcionam e de acordo com o valor que podemos pagar por isso.
Não adianta eu querer ter um Rolls Royce se eu só posso ter um carro popular, nem minha vontade de viajar de primeira classe se eu só posso pagar o voo de classe turística.
Eleito o bem ou produto que eu posso ter ou consumir, é meu direito escolher que ele mantenha o padrão de qualidade que apregoa ou anuncia e que mantenha esse padrão pelo tempo em que o contrato estiver valendo.
Não é o que acontece em muitos lugares e dou como exemplo a nossa cidade, o Guarujá.
Temos um dos IPTUS mais caros do Brasil e o pior retorno possível e imaginável pelo imposto pago. O IPTU, para relembrar, é um imposto arrecadado dos proprietários de imóveis urbanos que integra a receita do município com a finalidade de proporcionar os serviços e benefícios públicos aos munícipes.
É público e notório que o maior volume de IPTU da nossa cidade é arrecadado pelos imóveis da orla da praia e utilizados pelos seus proprietários nos fins de semana e nas férias. Fora dessa época a grande maioria e eu arriscaria um número perto de oitenta por cento deles, ficam fechados, seus proprietários não produzem lixo, não têm filhos para frequentar as escolas municipais, nem utilizar os poucos serviços médicos proporcionados pelo município.
Não é demais lembrar, que a segurança pública, a educação e a assistência medica são de responsabilidade e pagos, no seu maior volume pelos governos estaduais e federal.
Sabemos que pelo menos cinquenta por cento de toda a arrecadação de todos os impostos é utilizada para pagamento da folha de pagamento dos funcionários municipais.
Pelo raciocínio acima e me corrijam por favor, estamos sendo roubados, a administração peca pela base quando define a origem dos recursos e as prioridades e as nossas associações de profissionais e de bairros está nas mãos de incompetentes que não têm capacidade,vontade nem a competência esclarecer seus associados da luta possível para reverter essa situação ilegal, imoral e injusta.

O certo é que tem muita gente reclamando, mas da forma errada.

sexta-feira, 26 de abril de 2013


por Gilmar Alves Jr.


Uma saga criminosa cujo principal objetivo era o assassinato de uma liderança no tráfico de drogas – o que não ocorreu – ocasionou em três duplas tentativas de homicídio entre os dias 13 e 15 deste mês, em Guarujá. Na tarde de ontem, a Polícia Civil divulgou o esclarecimento dos casos e as prisões dos três acusados. São eles o soldado da Polícia Militar Peterson Campos Silva, de 32 anos, lotado no 6º BPM/I (Santos), e os seguranças Jefferson Luis Paulo de Oliveira, de 31 anos, e Jefferson Teixeira Silva, de 24.
A pedido da Delegacia Sede de Guarujá, os três acusados tiveram as prisões temporárias por 30 dias decretadas pela 1ª Vara Criminal de Guarujá. O soldado e o segurança Jefferson Luis foram capturados na última sexta-feira, enquanto Jefferson Teixeira foi preso na manhã de ontem.
De acordo com a Polícia Civil, três reconhecimentos do trio já foram positivos.
A primeira dupla tentativa de homicídio atribuída ao trio ocorreu às 5 horas do dia 13 na Avenida Brasil, na Vila Edna. Um balconista de 16 anos e um rapaz de 23 foram as vítimas. Para os investigadores, esse crime ocorreu para atrair as atenções de policiais militares em serviço para aquele local, enquanto o trio seguiu ao bairro Santo Antônio, na tentativa de eliminar, o alvo principal, um traficante conhecido como Nonô.
O traficante não foi encontrado pelo trio, mas dois rapazes, ambos de 24 anos, acabaram baleados na Alameda das Violetas. Esse crime ocorreu 20 minutos após o ataque na Vila Edna.
Na madrugada do dia 15, às 3h20, novamente, segundo a polícia, o trio voltou a atacar visando o assassinato de Nonô. Nessa madrugada, na Alameda das Violetas, acabaram baleados um estivador de 25 anos e um ajudante de 35.
Segundo o delegado titular de Guarujá, Cláudio Rossi, está sendo apurada a eventual participação dos acusados em outros atentados a tiros cometidos no Município.
Seguranças sendo apresentados ontem à tarde, nas dependências da Delegacia Sede de Guarujá (Foto: Matheus Tagé/DL)
Seguranças sendo apresentados ontem à tarde, nas dependências da Delegacia Sede de Guarujá (Foto: Matheus Tagé/DL)

Apreensões
Na moradia do segurança Jefferson Luis, os investigadores, chefiados por Paulo Carvalhal, apreenderam uma pistola de calibre 380, munições, carregadores, telefones celulares, um colete da Polícia Militar, uma arma de brinquedo e duas toucas ivanhoé.
Jefferson Luis foi o único dos acusados a se manifestar sobre os crimes.

Flanelinha confessa tentativa de homicídio O delito, a facadas, ocorreu na Rua Cavalheiro Nami Jafet, no Centro de Guarujá


por Gilmar Alves Jr.

A Polícia Civil divulgou ontem que pediu à Justiça a prisão temporária do guardador de carros Carlos Alberto Ferreira Dantas, de 23 anos, que é acusado pela tentativa de homicídio do a facadas do também flanelinha Marcelo Fernando Carneiro, de 39. Detido por investigadores da Delegacia Sede de Guarujá, Carlos confessou o crime, mas disse que a vítima tentou atacá-lo antes.
O delito ocorreu na Rua Cavalheiro Nami Jafet, no Centro de Guarujá, após uma discussão entre Carlos e Marcelo, na noite do dia 5 de março. Horas antes, no mesmo dia, eles foram levados para a delegacia juntamente com outros guardadores de carros em uma ação realizada para pesquisas de antecedentes criminais. Após deixarem o local, Carlos suspeitou que Marcelo fez denúncia, o que culminou no desentendimento.
Ao confessar a tentativa de homicídio na Delegacia Sede, Carlos afirmou que conseguiu tirar a faca de Marcelo e o atingiu oito vezes. Ambos estavam consumindo crack no momento da discussão.
Carlos Alberto Ferreira Dantas, de 23 anos, teve a prisão pedida à Justiça após ser indiciado (Foto: Divulgação)
Carlos Alberto Ferreira Dantas, de 23 anos, teve a prisão pedida à Justiça após ser indiciado (Foto: Divulgação)

A vítima, que foi socorrida consciente para o Hospital Santo Amaro (HSA), já teve alta médica.
Sob a coordenação do delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior e comando do investigador-chefe, Paulo Carvalhal, participaram das investigações os policiais Jairo de Paula e Liliana Santos.
Para ler mais notícias, curta a página do Diário do Litoral no Facebook, siga nosso Twitter ou adi

Sobram nomes para substituir a Prefeita Maria Antonieta na administração do Guarujá.

A Prefeita  foi eleita para seu primeiro mandato numa clara demonstração de que o povo não queria, de jeito nenhum, Farid Madi para um segundo e desastroso período.
A maioria dos cidadãos percebeu que as centenas de denúncias, que já se tornavam processos, eram verdadeiras e que os tribunais jamais fariam justiça a tempo de condenar o culpado pelo tipo de administração que se mostrava tragicomédia administrativa, financeira e um verdadeiro pastelão na vida pessoal.
O mesmo povo que elegeu Farid Madi apeou-o do poder e colocou a inexpressiva Maria Antonieta de Brito em seu lugar. Para tirar o Farid, com as denúncias, processos e escrachos políticos como a festa da tainha, a festa dos dólares no aeroporto e outras orgias que teria cometido, colocariam qualquer outro e erraram elegendo a outra.
Mulher de fala mansa, Maria Antonieta de Brito foi um casuísmo como os que elegeram o Tiririca e outros nomes que o povo repete e neles vota, não pelos seus méritos, mas pela ausência de processos e denuncias de malversação do dinheiro público e é claro, por gozação.
Não existiam processos porque nunca haviam exercido um cargo administrativo, nunca haviam gerenciado o dinheiro publico, nunca tiveram a oportunidade de colocar a mão em dinheiro grosso.
A Prefeita conseguiu o segundo mandato ainda graças a Farid Madi. Causava verdadeiro terror ter de volta o ex e mais uma vez o voto de repulsa elegeu a menos, mas igualmente ruim Maria de Brito.
Hoje, depois de quase oito anos de administração, a prefeita tem na mesma maioria que a elegeu seu maior inimigo, o povo descontente.
Nos dias de hoje não basta fazer algumas obras nem escolher desastradamente o que fazer ou  quem vai fazer e a que custo.
 Ao administrar a cidade fazendo pequenas obras com grandes custos, a Prefeita mal assessorada por poucas pessoas com boas intenções e outras com péssimas ações, conduziram-na pelo caminho que trilhou.
Os erros foram muitos e não se cogita de acertos.
O ditado diz que pior cego é o que não quer ver. Parece alguns administradores quando chegam ao poder ficam cegos e surdos porque que além   de não ver, não escutam nem os colaboradores fieis nem o povo.
Segundo os descontentes, a Prefeita Maria Antonieta de Brito foi seduzida pelo glamour das festas, pelos elogios imerecidos e pela vontade de manter algumas aparências, mesmo que isso lhe custasse grandes piadas maledicentes, como o caso do seu casamento, e grandes mistérios, como o assassinato do seu SS, Super Secretário Ricardo Joaquim, que perdeu o cargo e a vida simultaneamente, deixando de ser o homem mais importante da administração para se tornar um cadáver em poucos dias e com muitas histórias mal contadas e ainda não apuradas.
Não há duas massas de eleitores que irão se degladiar na eleição do próximo prefeito. 
Essa será mais uma eleição dos descontentes que não elegerão a situação, votando maciçamente na oposição para demonstrar  desagrado, para apear essa turma do poder.
Há muitos nomes querendo o cargo. Muitos nomes ruins e o comentário nas ruas é que esses políticos casuístas, que nunca desempenharam cargos administrativos, alguns nem legislativos, não querem tirar a incompetente, querem, isso sim,substituí-la por outro igualmente incompetente. 
Esses, certamente não darão continuidade ao desastre, começarão um novo e ainda mais oneroso.
Quem viver verá que Guarujá, apesar de sobreviver vai mais uma vez enterrar o sonho de voltar a ser a Pérola do Atlântico e caminhar a largos passos para ser a piada, o caranguejo do litoral.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Socorro por segurança em Guaruja‏



Sonia Vanin - Soninha (financeiro@fornituracampinas.com.br)
Para: falecomodono@hotmail.com
Imagem de Sonia Vanin - Soninha
Através do site www.sosguaruja, venho pedir. Socorro por segurança em,nossa cidade que esta totalmente sem policiais ,pois os assaltos só aumentam...sou uma pessoa.que adoro o GUaruja,mas estou revoltada com tanta violência ...estou com vontade de vender meu imóvel que já freqüento aqui a dezoito anos. A entrada do Guaruja e o alvo dos assaltos, ficamos na fila a espera do assalto, sem nenhuma policia .. Eles trabalham a vontade enquanto apavoram as famílias que chegam para gastar na cidade ,minha amiga idosa de 84 anos foi assaltada na porta da igreja no domingo....esta com fraturas múltiplas no hospital e ninguém faz nada nada nada...pelo amor de DEus acordem Faço um apelo. segurança já já esperar os que mais heim. Meu nome. Sonia Vanin. Moro na Av. Leomil 944 fica meu. Protesto. Publiquem terei muitos seguidores.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Iniciativa privada vai custear acesso provisório



22/04/2013

Também nesta semana, a Prefeitura sediou mais uma reunião entre a Codesp e as empresas portuárias e retroportuárias da Cidade. Na pauta, a formatação do modelo a ser adotado por todos os envolvidos na construção do novo acesso provisório ao Porto. Por conta do problema de trafego gerado pela supersafra de grãos, que ocasionou congestionamento na Rodovia Cônego Domenico Rangoni, os terminais decidiram, na inviabilidade do Estado e da Prefeitura custearem a obra, construir um caminho alternativo para desafogar o trânsito na rodovia.
 
Técnicos da área jurídica da Codesp, das empresas Dow Quimica e Fassina, além de um representante da Advocacia Geral do Município se reunirão para encontrar uma solução legal que viabilize a construção do novo acesso portuário o mais rapidamente possível. “Eles irão avaliar o melhor instrumento jurídico para agilizar o processo, seja pela concessão ou locação da área. Com essa definição, poderemos executar essa obra em breve”, disse o secretário municipal de Coordenação Governamental.
 
imagem - seg, 22/04/2013 - 18:10
 
A obra orçada em R$ 1,5 milhão será realizada em uma área com aproximadamente 30 mil metros quadrados que pertence às empresas Fassina e Dow Química. Para o secretário, a melhor forma de acelerar a construção é por meio da iniciativa privada com as empresas se cotizando para contratar e executar a obra, que beneficiará diretamente o Porto e solucionará o problema enfrentado pela população em função da supersafra de granéis. “As empresas já sinalizaram esse custeio”, concluiu.
 
Além do secretário, participaram da reunião o Presidente da Codesp, Renato Barco, o diretor de infraestrutura do Porto, Paulino Moreira da Silva Vicente, a superintendente jurídica da Codesp, Bernadete Bacelar do Carmo Mecier, representantes da Santos Brasil, Dow Quimica, Fassina, Termag, Teag, TGG, Cutrale, Local Frio e Grieg, além de técnicos da Prefeitura, Codesp e Associação Comercial e Empresarial de Guarujá.

sábado, 20 de abril de 2013

Procon Guarujá realiza audiência pública com a CPFL



Órgão promoveu debate entre a população e a concessionária de energia elétrica, a fim de solucionar problemas em Vicente de Carvalho
Representantes da Prefeitura de Guarujá, Procon, CPFL e lojistas da Avenida Thiago Ferreira, em Vicente de Carvalho, realizaram uma audiência pública, nessa quinta-feira (18), na Sociedade Esportiva Itapema, a fim de encontrarem uma solução para os problemas constantes de oscilações de energia elétrica, em Vicente de Carvalho.

Segundo o secretário de Coordenação Governamental de Guarujá, Duíno Verri Fernandes, presente à reunião, o encontro foi importante para a população tirar suas dúvidas, e para que CPFL esclarecesse os problemas e apresentasse soluções.
“Sempre é bom termos um diálogo aberto. Os munícipes tiveram a chance de mostrar seus anseios e a companhia se dispôs a solucionar o que estiver ao seu alcance”, explicou Duíno.
Durante a reunião, de cerca de duas horas e meia, a empresa mostrou os investimentos que vem realizando em Vicente de Carvalho, como por exemplo, a troca de mais de 138 km de rede secundária de energia, que deve ser encerrada em junho deste ano.
A CPFL apresentou também o projeto de construção de uma subestação de energia com capacidade para 40 MVA, que está em fase inicial de captação de recursos. De acordo com o gerente de transmissão da empresa, Cristiano Santos Cucatti, o investimento total chega a R$ 23,9 milhões.
“Uma certeza é que todos esses investimentos em Vicente de Carvalho irão reduzir os transtornos que estão sendo encontrados hoje. Estamos trocando o cabeamento do Distrito por algo mais moderno e que ocupa menos espaço”, disse Cucatti.
Já o diretor do Procon, Alexandre Cardoso, espera que as soluções aconteçam o mais rápido possível. “Esses problemas só prejudicam a população e a imagem da empresa”, ressaltou.
A audiência pública foi acertada pelo Procon, Prefeitura e por uma comissão formada por vereadores de Guarujá, após inúmeras reclamações dos moradores e comerciantes, pelas constantes quedas de energia nos locais atendidos pela companhia.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Guarujá coloca no ar serviço de informações ao cidadão A ferramenta permite que qualquer pessoa, física ou jurídica, peça informações sobre ações do Executivo Municipal, como contratos, pregões e pagamentos


Está no ar, desde a última quarta-feira (17), no site da Prefeitura de Guarujá, dentro do Portal da Transparência (Lei de acesso a Informação), o e-SIC (Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão) que permite a qualquer pessoa, física ou jurídica, encaminhar pedidos de acesso às informações do Executivo Municipal.
 
Por meio do sistema, além de fazer o pedido, será possível acompanhar o prazo pelo número de protocolo gerado e receber a resposta da solicitação por e-mail, além de entrar com recursos, apresentar reclamações e consultar as respostas recebidas. O objetivo é facilitar o exercício do direito de acesso às informações públicas.
 
Para utilizar o serviço, o interessado deve entrar no site da Prefeitura www.guaruja.sp.gov.br e clicar no ícone Portal da Lei de acesso à Informação, que fica do lado esquerdo da tela, embaixo do ícone informações úteis, ou no atalho existente no campo Portal da Transparência e a Bandeira do Brasil.
 
Ao clicar em qualquer um dos ícones, é aberta uma nova janela com o título Lei de Acesso à informação, que dá acesso à outra tela com um símbolo amarelo, semelhante a um balão de conversa, com um ícone verde ao meio, que é a marca do Portal. Daí, o munícipe clica mais uma vez e realiza o cadastro do email e senha.
 
Depois disso, abre-se uma nova tela para que o solicitante informe seus dados pessoais e efetue o cadastro. Com a conclusão desta etapa, o munícipe poderá iniciar o pedido de informação de tudo que é considerado público. Pelo serviço, é possível solicitar informações referentes às ações das secretárias como prazo de conclusão das obras, licitação, pregão, contratos, dívidas e pagamentos.
 
De acordo com o controlador geral do Município, Zaqueu Elias da Silva Ferreira desde que o Governo Federal criou a  Lei de acesso à Informação (lei nº 3970/12), o município vem trabalhando para por a ferramenta no ar.  “O primeiro passo foi criar uma lei municipal para se adequar à legislação federal, que disciplina as regras para o questionamento. Vale ressaltar que não podem ser feitas solicitações exageradas, informações confidenciais ou relativas à pessoa física”, explicou.   
 
Segundo o controlador, o objetivo é facilitar o exercício do direito de acesso às informações públicas. Na prática, antes o atendimento era feito via telefone ou pessoalmente. Com o serviço eletrônico, o munícipe não precisa mais sair de casa para  protocolar o pedido. A partir do cadastro, o cidadão faz o questionamento via e-mail e a solicitação será encaminhada ao setor responsável, sendo respondida posteriormente também por e-mail.  “A disponibilidade desse serviço mostra que Guarujá é a cidade da nossa Região que dispõe de maior transparência em suas ações”, enfatizou o controlador.
 

PREFEITURA DE GUARUJÁ – Assessoria de Imagem e Comunicação Pública - Tel.: (13) 3308-7470
Jornalista responsável: Karina Praça (MTb.: 43.955) – Redatora: (MTb.: 52.040)
18 de abril de 2013
Controladoria – Guarujá coloca no ar o Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão 
e-SIC
e-mail: imprensa@guaruja.sp.gov.br

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Suposta denúncia pode virar inquérito em Guarujá Advogado teria publicado suposto retorno do Mensalinho em Guarujá


por Carlos Ratton



O delegado assistente de Guarujá, Luiz Ricardo Lara Dias Júnior, analisa a possibilidade de abrir inquérito policial para apurar suposto crime de difamação cometido pelo advogado Edison Bento Prata, proprietário de um jornal na Cidade.
A iniciativa foi a pedido do presidente da Câmara de Guarujá, vereador Marcelo Squassoni (PRB), que ingressou uma representação criminal contra Edison Prata, após denúncia registrada pela delegada Juliana Buck Gianini, por intermédio do boletim de ocorrência 2215/13, de 6 de março.
A história tomou grandes proporções políticas porque o empresário — que não tem formação jornalística e, para exercer o jornalismo, se baseia em uma decisão equivocada do Supremo Tribunal Federal (STF), já derrubada pelo Senado — teria publicado nota em uma coluna do jornal para supostamente denegrir a imagem do Legislativo.
Denominada Bala de Prata, a coluna política reacendeu um caso polêmico na Cidade, ocorrido em 2006, conhecido como Mensalinho, envolvendo o ex-prefeito Farid Said Madi (PDT), dois secretários e nove vereadores da época.
Edison Prata trouxe de volta a possibilidade de estar ocorrendo o mesmo na nova legislatura, ao publicar a seguinte nota: “Quem pensa que o Mensalinho acabou, está redondamente enganado! O problema todo era a gravação. Hoje, as coisas são diferentes, em vez de dinheiro, hoje é cartão de crédito”.
“A lamentável publicação, em que pese não estar sendo dirigida diretamente a uma pessoa específica, macula a honra de toda a instituição (Câmara), ainda mais quando afirma que tais fatos continuam ocorrendo através de outra modalidade de pagamento”, explica o presidente da Casa.
A atitude de Squassoni foi respaldada por todos os demais 16 parlamentares. Alguns, além de se expressarem publicamente durante sessão legislativa, resolveram ingressar com processos individuais contra o advogado. “A nota ataca frontalmente a honra de todos, não somente do presidente do Legislativo, mas dos demais vereadores e servidores da Câmara”, completa.
Finalizando, o vereador solicitou que a Polícia de Guarujá abra inquérito a fim de averiguar possível existência de crime e, caso haja, que Edison Prata seja condenado pelo suposto ato criminoso, de colocar sob suspeita a legitimidade e honestidade dos parlamentares atuais.
Vereadores se sentiram difamados pelo advogado que é dono de um jornal (Foto: Luiz Torres/DL)
Vereadores se sentiram difamados pelo advogado que é dono de um jornal (Foto: Luiz Torres/DL)

Prata
Procurado pela reportagem, o advogado Edison Prata pouco quis se manifestar sobre o assunto, apenas negando qualquer relação entre um fato e outro, ressaltando que a nota não se refere aos vereadores de Guarujá.
“Não foi citado o nome de ninguém e a coluna falou sobre o Mensalinho de forma genérica. Não podemos atrelar o Mensalinho somente à cidade de Guarujá. Se eles (vereadores) provarem que eu me referi a eles, tudo bem, podem me processar”, dispara Prata, se mostrando tranquilo com relação ao andamento do processo policial.

Diretor de trânsito do Porto é morto a tiros em avenida de Guarujá, SP


17/04/2013

Polícia investiga o caso e não descarta a hipótese de execução.
Homens em uma moto dispararam vários tiros na noite desta terça-feira.

Do G1 Santos
2 comentários
O Diretor de Trânsito do Porto emGuarujá, no litoral de São Paulo, foi morto na noite desta terça-feira (16) em uma das avenidas maia movimentadas da cidade. A Polícia não descarta uma execução.
Segundo informações da Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 22h, na avenida Adhemar de Barros. De acordo com testemunhas, Adenílson Lima da Silva, de 39 anos, seguia de carro para o centro da cidade quando duas pessoas em uma moto começaram a disparar tiros em direção a ele.
Adenílson foi baleado mas, mesmo assim, o veículo não parou. O carro subiu na ciclovia e percorreu alguns metros na contramão até bater e parar. Algumas pessoas que estavam no local disseram que os criminosos fizeram vários disparos. Pelo menos quatro tiros atingiram a vítima. O diretor foi encontrado morto dentro do carro que estava parado em cima da calçada e com a chave no contato.
A polícia encontrou os pertences do diretor dentro do carro. No local havia computador, celular e a pasta de trabalho. Adenílson trabalhava há 13 anos em uma empresa portuária e era o responsável pelo trânsito na área portuária de Guarujá, responsável por organizar os caminhões que entram e saem na rua do Adubo, que dá acesso a margem esquerda do Porto de Santos.
A Polícia Civil irá investigar o caso e, por enquanto, nenhuma hipótese foi descartada. A mais provável, por conta das características do crime, é execução.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Gratificações de servidores de Guarujá são só 'a ponta do iceberg'.Resolução deixada por ex-presidente da Câmara de Guarujá garante até auxílio-reclusão


Carlos Ratton


Gratificação por Assiduidade e Pontualidade (GAP) que, até esta quarta-feira (10), permitiu que 20 funcionários de carreira da Câmara de Guarujá recebessem em seus holerites, entre salários e gratificações, valores até R$ 35 mil e, a outra metade (19), vencimentos entre R$ 10 mil e R$ 19 mil, foi apenas a “ponta do iceberg” de benefícios deixados pela Mesa Diretora anterior, liderada pelo ex-presidente do Legislativo, então vereador José Carlos Rodriguez (PP) — hoje secretário de Turismo da Cidade.

Conforme publicado já no ano passado pelo Diário do Litoral, a Resolução 17, de 7 de novembro de 2012, que instituiu o (GAP), que favorecia o funcionário mesmo em afastamento por férias, licença prêmio, faltas abonadas, licença gestante e paternidade, entre outros, também é responsável por ratificar salário-esposa, abono-aniversário e até auxílio-reclusão — este último concedido à família do funcionário preso.
Sobre esse último benefício, cabe aos dependentes do servidor preso comunicar o Departamento Administrativo e de Pessoal sobre a ocorrência da prisão, com vistas à efetivação do afastamento e a concessão do benefício de auxílio reclusão. Depois do período de reclusão, o servidor deve se apresentar ao Departamento Administrativo e de Pessoal para reinício do exercício de suas atividades funcionais, no primeiro dia útil após a data de sua soltura.
Outros benefícios

Pela resolução, o salário família se estende também aos inativos (aposentados), é pago por filho e, se for casal, marido e esposa servidores têm direito ao benefício. Ou seja, é como se cada filho valesse por dois.
Presidente corta GAP para evitar desgastes e Rodriguez garante que GAP teve respaldo de outros vereadores (Fotos: Matheus Tagé/ DL)
Presidente corta GAP para evitar desgastes e Rodriguez garante que GAP teve respaldo de outros vereadores (Fotos: Matheus Tagé/ DL)


Além dos direitos trabalhistas normais, ao sair de férias, o servidor tem 50% a mais do valor de seu salário e, quem exercer a função do chefe ou superior, incorporará um décimo da diferença de salário, por ano, até o limite de 10 décimos.

O servidor estudante, nos dias de exames ou provas, pode requerer sua saída antecipada do serviço em até uma hora do término do expediente e na realização de exames vestibulares terão as faltas justificadas.

O servidor passou a ter um dia de folga remunerado no mês de seu aniversário, chamado Abono Aniversário. Ele ainda pode faltar ao trabalho, sem prejuízo aos vencimentos, por até nove dias consecutivos, em virtude do casamento. Esse benefício também se estende em virtude de falecimento de parente. O servidor também passou a ter direito de Licença Adotante, que pode chegar a 120 dias (quatro meses).

Outro benefício interessante: quem for servidor da Câmara de Guarujá leva problema à família quando vir a falecer. A resolução de José Carlos Rodriguez e dos colegas de plenário garante o direito de perpetuidade de campa dos que tiverem ao menos 25 anos de trabalho, independente do pagamento das taxas de cemitérios.
Presidente revoga só o GAP

O Projeto de Resolução apresentado, na última terça-feira, pela Mesa Diretora da Casa — formada pelos vereadores Marcelo Squassoni (presidente), Gilberto Benzi e Walter dos Santos — revogou somente o artigo 13 da Resolução 017/2012, que dispõe sobre os benefícios dos funcionários — publicada no Diário Oficial de 9 de novembro último.

Vale ressaltar que o GAP (artigo 13), mesmo proporcionando salários que chegam a ser o dobro do salário da prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito (PMDB), tem aval favorável da Diretoria Jurídica e do Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal – Fundação Prefeito Faria Lima.

A Mesa Diretora, porém, optou pela “economicidade e razoabilidade na gestão dos gastos públicos e na eficiente aplicação de seus recursos”. Trocando em miúdos, preferiu não arriscar o desgaste público.

Procurado, o secretário de Turismo de Guarujá, José Carlos Rodriguez, ratificou que o GAP é apenas um dos 23 artigos da resolução, que foi instituída para atender o Estatuto do Servidor. O documento foi criado pelo Executivo, com respaldo do Sindicato dos Servidores.

“Não havia alternativa e a criação do GAP teve o respaldo dos demais vereadores da época. Agora, acredito que o atual presidente deva reavaliar sua decisão e procurar alternativas, como um limite de corte ou valores escalonados. O problema é a diferença salarial. O que não pode é o servidor que tem salário baixo ser penalizado”, finaliza Rodriguez.

Programa de limpeza no Rio multará pedestre que sujar a rua




Comunicar erroImprimir

Com um sistema de notas para os bairros, a Comlurb (Companhia de Limpeza Urbana) do Rio quer fazer "pegar" o Programa Lixo Zero, que a partir de julho vai multar quem usar as ruas e calçadas como lixeiras --pode ser um simples papel de bala ou até entulhos.

MULTA POR SUJEIRA PODE CUSTAR R$ 3.000

Com o exemplo da cidade de Miami, nos EUA, que já dá pontos para a limpeza de suas vias, a Prefeitura do Rio vai contratar uma empresa, por meio de licitação, que vai dar as notas. A pontuação será uma medida para perceber a eficácia da lei com que o programa foi baseado, que existe desde 2001.
Em São Paulo, a lei e o sistema de multas existe desde o mesmo período, porém, a prefeitura paulistana admite que não tem como multar os pedestres.
As ações do Programa Lixo Zero vão ter como foco o centro e grandes áreas de comércio, como Copacabana, na zona sul, além de Madureira, Méier e Tijuca, na zona norte, no primeiro momento e, de acordo com a eficácia, será expandida para a zona oeste.
Segundo o presidente da Comlurb, Vinícius Roriz, serão 500 agentes, cada um acompanhado de um Guarda Municipal e um PM (Policial Militar). A multa será emitida no flagrante, já que os agentes vão usar palmtops para emitir o documento de penalidade.
O cidadão flagrado deve fornecer seu documento para que o agente dê a multa e, em caso de negativa, será encaminhado para o ato ser lavrado na delegacia.
"Os agentes são treinados, sabem o que é a infração, porque a lei tem uma série de artigos, de jogar um papel, uma latinha, até mais, como os entulhos. Os guardas já usam o palmtop para multas e a PM vai assegurar que a situação ocorra sem problemas", afirmou Roriz.
Os valores das multas podem variar de R$ 157 a R$ 3.000, dependendo da infração. O descarte irregular de lixo menor, até o tamanho de uma lata de refrigerante, custará R$157 se chegar a até 1 m³, R$ 392, e se for um volume superior a 1 m³ a multa será de R$ 980. Um monte de entulho dá multa de R$ 3.000.
Quem for multado e não pagar poderá ter seu nome protestado e até inscrito em instituições de proteção ao crédito.

Limpeza de ruas custa R$ 90 milhões ao mês

O objetivo da Comlurb, explica Roriz, é diminuir os gastos com a limpeza das ruas, que somam R$ 90 milhões por mês -- 15% do orçamento da empresa. A empresa não pretende comprar mais lixeiras ou papeleiras (recipientes de cor laranja com uma pequena abertura) e quer contar, segundo o presidente, com a conscientização da população.
"Queremos transformar o comportamento da população. Tem cidades limpíssimas, como Tóquio, em que você quase não vê lixeiras. Se você leva seu lixo para a casa causa dois efeitos positivos: deixa a rua limpa e otimiza o processo da limpeza", afirmou Roriz.
Após o programa de multas começar a funcionar, os avaliadores que darão as notas entrarão em ação e de acordo com a pontuação dada à rua os garis que atuam naquela via serão premiados.
"Vão aparecer dificuldades, vai ser um desafio, mas pode melhorar", disse o presidente da Comlurb.

São Paulo tem lei desde 2002

Desde 2002, São Paulo tem a lei de descarte de lixo, que prevê multas que punem desde de pedestres até empresas.
A Amlurb (Autarquia Municipal de Limpeza Urbana) informou conseguir agir contra empresas e comércio, mas, a falta de tecnologia --como os palmtops que serão usados no Rio --impedem que a empresa autue pedestres.
Segundo Helena Terzella, supervisora de fiscalização da Amlurb, para multar o cidadão em flagrante é preciso ter um equipamento online que emita a multa na hora. Em São Paulo, as multas são preenchidas pelos agentes e, quando não querem fornecer seus dados, os autuados vão para a delegacia.
"Na prática temos dificuldade e é muita gente. Se alguém sai de uma loja e joga a sacola, aí multamos o comércio, mas um transeunte é complicado", afirmou Helena.

Flagrante

Para Antonio Simões Garcia, engenheiro e ambientalista da ABLT (Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública), multar pedestres tem uma aplicação muito difícil porque precisa do flagrante.
"Acho difícil de ser aplicada por ser polêmica também. A única coisa que realmente acho solução é que temos de introduzir nas escolas esse ensinamento. As crianças vão mudar esse comportamento porque elas vão cuidar dos pais", afirmou Garcia.

Ajuda da população

A eficácia da lei em Diadema (Grande São Paulo) conta com a ajuda da população. São 14 agentes que atuam na cidade, mas a denúncia da população por telefona auxilia também a flagrar aqueles que deixam o lixo domiciliar nos horários e locais errados.
A Prefeitura de Diadema também informou, em nota, que é impossível vigiar todas as ruas, pedestres e terrenos vazios.
No primeiro trimestre o município emitiu 130 notificações e aplicou 17 multas relacionadas a descartes de lixo e entulhos nas ruas. Das notificações, 80% são referentes a despejo de lixo em calçadas, canteiros, terrenos baldios.
Ampliar


Lixo nas ruas do Rio no pós-Carnaval carioca8 fotos

6 / 8
13.fev.2013 - Na rua da Lapa, no Rio de Janeiro, lixo ainda esperava pela remoção da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana) na manhã desta Quarta-feira de Cinzas, após a passagem de dezenas de blocos de rua na cidade durante o Carnaval. A Comlurb informou que recolheu, até esta manhã, 400 toneladas de lixo das ruas da cidade Leia mais Carlão Limeira/UOL