Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.

Faça do SOS Guarujá seu informativo a qualquer hora. Assuntos locais e de interesse geral.
Atualizamos o blog várias vezes todos os dias para que você tenha a informação em cima da hora.Colabore mandando eventos, matéria,denúncias,textos...tudo que possa interessar à comunidade do Guarujá.

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO GUARUJÁ ATACADO E VAREJO
CLIQUE E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUINIS DO BRASIL

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O direito de manifestar-se em protesto, com passeatas, nas multidões ensandecidas, vai dar para todo mundo os direitos que pleiteiam e resolver os problemas sociais, pensam alguns.


#sóquenão!


Pare de ler agora mesmo! Tá bom!
Daqui para baixo vai ser o mesmo chôrôrô de sempre...


Será que esse povão pensa que vai ter um mundo melhor para eles com as manifestações?
Pensam que o mundo vai cair nos seus colos? Acho que vão ter mesmo é ter as cabeças quebradas, assim como as de quem estiver como eles, por baixo e por perto.
Não sou politicamente correto, também não sou racista nem tolerante com a ignorância dos vagueiam pelas ruas sem cumprir as suas obrigações de cidadãos.
Não tenho nada contra, dos analfabetos de qualquer cor, venham da região do mundo que vierem, professem qualquer seita, até mesmo aquelas que tem mais horário na TV do que Deus no coração. Em muitas, o dízimo pode ser pago por boleto ou parcelado no cartão.
Não dou esmolas nas ruas e ajudo muitas pessoas realmente necessitadas da maneira correta, por meio de instituições.
No Facebook e em qualquer plataforma da internet, cada um fala o que quer e é o que eu faço. Lê quem quiser.
Eu acho que a maioria lê porque não tem nada melhor para fazer.
Alguns amigos me incentivam e eu os agradeço porque gosto de escrever e fazer laboratório com a opinião alheia.
Por aqui muita gente posa de bonzinho, tem fé em Deus, acha a Democracia a melhor forma de governo. Alguns, dão ao povo, por conta própria, o direito de fazer da Democracia a casa da mãe Joana, das manifestações palco para um imenso circo e às vezes alguns incitam que se faça um arremedo de justiça, fazendo-a com as próprias mãos.
A polêmica é a tônica de estudantes universitários sem nível médio e homens e mulheres revoltados, que se tivessem a força de vontade que propalam, contestando qualquer coisa que se publica, possivelmente não estariam relaxados com a própria imagem, com a diabetes, com a pressão alta e depressão aguda.
Nessas manifestações o que ser vê são muitas vezes minorias insignificantes, como cem baderneiros interrompendo ruas, avenidas e estradas, para protestar pelo direito de ter no barraco conseguido numa invasão, energia furtada, água encanada e esgoto que não se importam muito, pode até ser a céu aberto mas TV a cabo por gato não pode faltar.
Serão reivindicações justas ou a maneira errada de fazer com que o errado pareça certo? Certo é que isso penaliza quem cumpre as leis.
Teoricamente Democracia é o governo do povo para o povo. Por qui, só na parte em que é o governo do povo, porque a parte do povo fica no bolso dos que estão por cima, fazendo leis ruins e aplicação pior.
E parece que vai continuar tudo do mesmo jeito, baderneiros nas ruas, a gente preso dentro de casa e os jornais e televisões faturando muito ao mostrar o mundo cão em que vivemos.
Esse governo fraco tem medo de proibir e coibir as manifestações de massa porque com elas que assumiram o poder e com elas pretendem ficar.
Mais quatro anos de Dilma e podemos vir a ser um desses países destruídos pelas “manifestações em prol da liberdade”.
Não vote na Dilma, não sei se vai resolver mas pode existir uma pequena chance de nos livrarmos desse mal.

Amém!




quarta-feira, 7 de maio de 2014

Manifestações.

Não existe, hoje em dia, manifestação de massa justificável e legítima uma vez que toda turba é incontrolável em algum momento sem o uso da força.
As manifestações e as torcidas organizadas estão nesses grupos.
Os que participam ou defendem esse tipo de aglomeração que leva multidões às ruas devem ser responsabilizados prelos danos que elas causarem, na medida em que outras formas de reivindicação devem ser buscadas.